sábado, 21 de maio de 2011

Dos filhos ingratos deste solo és mãe gentil, pátria amada.

Sou louca, apaixonada pelo Brasil. Não há outro lugar no mundo onde eu gostaria de viver, a não ser nesta terra abençoada sem furacões, terremotos e tsunamis. Nossas praias são as mais quentes e belas, temos a melhor música, a cultura mais rica, vários climas, paisagens, o melhor futebol... e é essa parte mesmo que me preocupa.

Como é de conhecimento geral, a copa de 2014 vai ser neste país tropical abençoado por Deus. E eu não consigo parar de pensar nesse fato porque temos exatamente três anos pra conseguir o seguinte:

- Demolir todos os estádios e construir tudo de novo. Sim, porque parece que projeto de reforma nenhum tava certo e tão tendo que refazer tudo, porque vai ser gasto muito mais dinheiro do que foi previsto. Pensando bem, melhor arrumar uma área bem grande e construir logo uma cidade nova, cheia de estádios, porque já economiza o tempo de demolir e remover os entulhos. O Maracanã tão destruindo desde o ano passado. Mas pra quem construiu Brasília inteira nos anos 60, é mel na chupeta.

- Armar um plano infalível pra conter a torcida no caso do Brasil ser eliminado. Lembrem-se de que o país inteiro vai estar torcendo pelo mesmo time, e se a torcida de um timezinho só faz o estrago que faz...

Além dos problemas infra-estruturais:

- Fazer a polícia parar de roubar, traficar, bater antes de perguntar, inclusive em idosos e crianças, sem falar em matar antes de perguntar, mesmo porque não dá pra perguntar depois, entre outras coisas. Imaginar a polícia contendo a torcida então... tô pensando em tirar umas férias no Butão durante a copa;

- Fazer com que as pessoas entendam que quebrando um ônibus estão tirando dinheiro do próprio bolso pra consertá-lo, e jogando lixo na rua estão afundando a própria casa no esgoto;

- Construir uns dois mil hospitais e formar uns 50 mil profissionais de saúde, pra dar conta além da população, dos turistas. O que inclui colocar uma cadeira de direitos humanos nesses cursos, pra ver se os profissionais ficam mais humildes, e aumentar o salário deles também, pra ver se pegam gosto pelo trabalho. Isto inclui também aumentar os salários dos professores e formar esse povo pra ensinar, e não pra enfeitar sala de aula com a própria presença, quando está presente.

Não vai caber aqui tudo que tem pra listar. Só espero que ainda caiba nesse país um pouquinho só de consciência de que antes de reclamar dos médicos do SUS, da polícia e dos governantes, temos que lembrar que esse povo é gente que saiu do meio da gente, que nasceu e se criou nesse meio ambiente doente, viciado em achar normal os absurdos que nos rodeiam.
Eu vejo notícias por aí de sistemas de coleta de lixo subterrâneos, sistemas de geração de energia barata, como a eólica e a solar, transportes revolucionários, rápidos e eficientes, técnicas simples aplicadas nas escolas que combatem evasão e dificuldade de aprendizagem, leis que têm fundamento e que funcionam, mas tudo isso fora daqui. Por quê, Deus, se tu és brasileiro? Por quê somos conterrâneos de Bolsonaro? Por quê?
Tô, tô puta mesmo. Tem hora que cansa viver aqui. Sou louca, apaixonada pelo Brasil, e por isso mesmo me dói ver tanta desgraça acontecer por opção. Antes a gente tivesse furacão e tsunami, desastres NATURAIS, e não consequência de burrice.