quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

4 de dezembro.



O dia passou e eu não vi. Estava ali, como as borboletas que não cristalizaram suas asas ao saírem das crisálidas. Mas eu não estava.

*

O dia passou e eu não ri. Estava ali, com os meio-sorrisos de entendimentos entre os amantes que não podem confirmar suas preces. Mas eu não estava.

*

O dia passou e eu não lembrei. Estava ali, com as memórias alfarrábicas dos aniversários nacituros. 
Mas eu, eu não estava.

*

Agora voltei.