sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

A Música que Não Acabou



Crescemos com a música, fizemos grandes e duradouras amizades por ela e com ela rompemos barreiras, resistimos às injustiças e angústias do mundo e da vida e pulamos e dançamos em cima do que nos fez e faz mal, nessa grande pista de dança. 

Sempre ao acabar da noite e com o sol nascendo, dizíamos um ao outro, cheios de bons sentimentos e de alma lavada pela música, um "até a próxima". Até a próxima que as vezes demoraram anos ou meses, mas que muitas vezes duraram até a próxima sexta-feira.

Mas uma sexta-feira também pode calar vozes que cantavam, pode silenciar as guitarras e baterias com "barulhos" mais altos ainda. não haverá uma próxima... Uma próxima vez em que se poderia chegar em casa pra aliviar a angústia da mãe que estava preocupada que o filho não levou blusa e iria passar frio depois do show, uma próxima vez de ficar semanas esperando um show, uma próxima vez em combinar com a namorada o que fazer e pra onde ir depois de curtirem música e aproveitarem essa energia.

A música não acabou. Não deixaram ela acabar... Como a vizinha que interrompe o ensaio dos garotos de 15 anos que poderiam ser a nova "salvação do rock", que nunca precisou ser salvo e salvou e salva a vida de muitos. 
Desplugaram as almas das vidas de quase uma centena de "amigos que nunca conhecemos". Claro, porque poderiam ser também nossos amigos feitos pela música, nos quais poderíamos falar "até a próxima sexta".

Mas a música que não acabou, nunca irá acabar! Em qualquer sexta-feira dessas, faremos essa virada na nossa pickup e apertaremos o play da próxima música que está no pause no outro deck. Sempre haverá uma pista tocando sua música preferida e todos continuarão essa dança da vida com um sentimento especial.

E o mais importante de tudo, haverá sempre em algum lugar meninos com seu violão na calçada, tocando com o coração e cheios de sonhos na vida, fazendo suas histórias virar letras, tocando suas melodias e acompanhando harmonias. com isso, estarão formando caráter e alimentando almas inquietas, sinceras e rebeldes.

A música que não deixaram acabar, não acabou e nunca deixaremos que acabe.
Play!