domingo, 6 de dezembro de 2015

cotidiano

Escorreu pelo dia. 
Veio a noite,
  um grito!
Quem está perto olha, reprova, ri, ignora.
Mas lá dentro, continua ecoando pausadamente:
-  Vi-Da ma-is FU-DI-DA-!-!-!