quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Fim de Ano

O tempo não termina,
não avança
não vai a frente
também não permite o retorno

O tempo é um eterno presente
Não existe futuro e o passado é eterno esquecer.



O tempo corrói aos poucos.
Aos poucos nos tornamos pó.

Pó.
O mesmo pó de uma ampulheta.

Ampulheta que nunca para. 
O tempo é o movimento daquilo que não passa, nem dura. 

Enquanto permaneço imóvel no tempo, me esqueço. 
Deixo de ser lentamente,
Avanço no inominável nada que me espera e admito: respiro! passo! sou!