domingo, 27 de setembro de 2009

Fotografando o pôr-do-sol



Algumas pessoas me perguntaram sobre isso e eu achei interessante compartilhar algumas dicas com vocês que amam viajar e clicar.
Fotografar o pôr-do-sol não tem segredo nenhum, mas nem sempre a imagem fica do jeito que esperamos ou do jeito que estamos vendo na hora.
Por isso, na próxima vez que estiver em frente a um pôr do sol daqueles, vamos fazer algumas coisas diferentes do habitual.
Com a chegada da câmera digital ficou mais fácil ver as imagens após o “clic” e entender o que aconteceu para depois tentar melhorar.
Primeira coisa para o resultado ficar mais interessante: use o “zoom” da sua câmera ou para quem tem uma câmera mais avançada e que troca a lente, use uma lente tele.
Usando o zoom ou a tele o sol vai “ficar maior”, vai parecer estar mais perto do que percebemos sem usar esse tipo de lente ou o zoom. Depois disso, uma dica prática para as cores ficarem mais bonitas, ou como muitos fotógrafos costumam dizer, ficarem mais dramáticas.
Faça a medição de luz ao lado de onde está o sol, sem que ele esteja aparecendo no visor.Para quem não sabe como é feita a medição de luz e tem essas câmeras compactas: aponte para o céu ao lado do sol e aperte o botão até a metade, segurando-o pressionado como se fosse para focar a imagem.
Mantenha-o pressionado e volte a enquadrar o pôr-do-sol do jeito que você quer a foto. Aí é só acabar de clicar.
Na maioria das máquinas compactas, isto funciona. Já que o sol tem muita, muita luz, se ele entrar no campo do visor na hora que você faz essa medição, acaba distorcendo o resultado e alterando muito as cores.
A primeira imagem é do pôr-do-sol na Grande Barreira de Corais na Austrália e a segunda é de Jericoacoara.