sábado, 26 de junho de 2010

O fardo de uma leiga em biologia


De acordo com o livro de biologia de segundo grau da minha irmã, a pressão baixa se dá quando o nível de água no sangue está abaixo do esperado, resultando a perda de impulso no seu curso arterial e blábláblá, e tinha qualquer coisa sobre os rins produzirem um hormônio que produz um sal que faz o sangue sugar mais água do corpo para equilibrar as coisas e eu sou realmente uma irmã muito boa porque em pela quinta-feira à noite, mesmo com uns 10 anos sem tocar num livro de biologia, fui ensinar (leia-se aprender junto) sistema excretor.

Mas estou falando disso, não por nada. É que minha pressão é baixíssima, nove ou dez ponto qualquer coisa, com direito a eventuais desmaios em caso de transfusões ou exames de sangue. Então assim, no fim das contas, até que foi importante saber que quando eu estou meio tonta é porque falta água no meu sangue. Né?

Aprendi também que o álcool inibe a produção do tal hormônio pelos rins. Aí fiquei me perguntando se seria esse o motivo de eu ficar bêbada tão rapidamente nos dias oficiais da cerveja: as sextas-feiras. É... menos água, mais álcool, menos hormônio, mais outros tipos de hormônios, menos memória – mas aí já são ooooutros sistemas funcionais do corpo humano, não vamos perder o foco.

Outra coisa que me aflige muito é o meu raciocino lento e meus ocasionais lapsos de memória. Mesmo eu tendo a ciência de que o conteúdo abordado no momento break está na minha cabeça e que, apesar da lentidão, eu tenho inteligência suficiente para aquelas situações.

Eis que descubro, em uma inocente conversa por telefone, e pouco depois da aula para minha irmã, que isso também é culpa da Pressão Baixa! Foi assim: Mariana, uma grande amiga, me liga e fala qualquer coisa que eu respondo e ela não entende. Aí, quando vou explicar de novo, ela diz “Deixa Nath, minha pressão baixou hoje, não vai adiantar forçar a barra do meu raciocínio. Depois a gente se fala.”

Como assim? Então estou fadada à lentidão mental para o resto da vida, por causa de uma inevitável característica biológica?! Já não bastava o “Bebo, logo, fico bêbada” e toda a história do menos hormônio x, mais hormônios y , menos memória no dia posterior?

A parte boa de toda essa desventura biológica foi a tal da água. É que nunca consigo lembrar se, em caso de queda de pressão, se deve comer sal ou açúcar. Decidido: voltarei a andar com minha garrafinha de 500ml na bolsa. Deus permita que isso ajude.

ps: caso algum perito em biologia desabe os olhos sobre esse texto, não se sinta constrangido diante de tais absurdos. Discorra todo o seu conhecimento em um comentário biologicamente correto. Serei eternamente grata.


nathaliaq.wordpress.com