quinta-feira, 24 de junho de 2010

Imãs de Geladeira

De: willsbourghour@idex.com

Para: dr_robertswanson@laborpsico.com

CC: helpsico@laborpsico.com

Assunto: Imãs de geladeira



Me chamo William Bourghour, tenho 37 anos, sou corretor de imóveis, divorciado, sem filhos e tenho uma vida pacata. Não possuo qualquer vício, e nunca tive nenhum problema de saúde. Faz alguns anos que meu hobby predileto é colecionar imãs de geladeira, tenho centenas, nos mais variados temas; filmes clássicos, desenhos que fizeram parte da minha infância, réplicas de bebidas, capas de álbuns de rock e piadas sobre religião, mulheres e obesidade. Minha geladeira se tornou na verdade um grande mural, onde homenageio coisas que gosto, nela é possível ver um preguiçoso Garfield ao lado de um briguento Snoopy dando uma bela comida de rabo em Charlie Brown. Também tem espaço para Darth Vader, convidando a todos para o lado negro da obesidade apontando com autoridade para as guloseimas do local e até Tarantino, recomendando não abrir a geladeira se não quiser ter uma desagradável surpresa. Comprei menos que a metade, com o passar do tempo amigos e familiares me ajudaram na obsessão. Exibo todos com muito carinho, eles me acompanharam em várias mudanças, e sobreviveram a duas trocas de geladeira e três separações (Mulheres vão, os imãs ficam!) - Já se tornaram parte de mim, ao lado de alguns livros, discos e filmes que já mais irei me desfazer.

Mas algo estranho vem acontecendo, tenho notado que os imãs têm mudado de posição, claro que pensei na hipótese das visitas ficarem brincando com eles, isso já aconteceu inúmeras vezes, mas sempre ao ficar sozinho arrumava-os novamente – (Sim! Cada imã tem seu lugar na geladeira...) – No começo achei que podia ser a falta de magnetismo devido ao tempo, sei lá quanto tempo dura um imã (eles não vêm com data de validade), mas isso foi descartado ao ver que os novos também se mexiam. Deixo tudo arrumado, vou tomar banho, fazer compras ou qualquer outra coisa e ao voltar eles estão revirados novamente, alias isso no começo, talvez nos dois ou três primeiros dias, pois nos últimos comecei a notar que eles estavam formando imagens (não, não estou louco!), triângulos, círculos e formas muito parecidas com letras, tirei algumas fotos e envio duas em anexo a este. A primeira é um ponto de exclamação, o mais curioso é que no dia anterior eu tinha feito um sinal de interrogação com os imãs, por brincadeira e não para tentar me comunicar (até então nunca fui de acreditar nessas coisas sobre espíritos e assombrações), a outra foto tirei ontem quando voltei do trabalho, como pode notar é uma cruz, motivo pelo qual lhe envio esse e-mail, pois hoje pela manhã encontrei meu gato Billy estatelado no chão em frente à geladeira. O veterinário disse que morreu asfixiado.

Ps.: Temo pelo pior, a cruz que esta formada hoje é muito maior.



Aguardo contato e desde já agradeço,

William Bourghour


Conto de Fernando Ferric - Impossível - Col. de Contos - Todos os direitos reservados.