domingo, 6 de fevereiro de 2011

Parente é ter pente


     Churchill certa vez disse que nunca fez amigos tomando leite, eu também não. Aliás, amigos de verdade também poucos fiz tomando cerveja, mas conheci um casal fascinante há algum tempo.  Ana Clara e Miguel começaram a frequentar o pub do qual sou habitué há cerca de seis meses, sempre chegavam por volta das oito horas e pediam uma porção de polentas, ela costumava beber um martini, ele sempre ia de cerveja escura.
      Sentavam por muitas vezes ao meu lado e em um desses dias começamos a conversar, algo que se tornou rotineiro dali para frente. Depois de uns dois meses Ana começou a vir sozinha, até então só praticávamos conversas e filosofias de botequim, mas, Ana decidiu se abrir e passamos a ter mais intimidade (calma leitor, mas não tanta intimidade assim).
     Ana contou porque estava vindo sozinha agora – eu disse que não perguntara antes por questão de discrição, mas confesso que era pelas polentas que agora sobravam mais para mim -, ela e Miguel haviam começado a relação a pouco tempo e Ana ainda nem conhecia os pais dele. Foi fazer isto duas semanas antes do dia em que me contava os detalhes, Miguel é sujeito abastado, filho único sempre fora superprotegido e mimado.
     Ao chegar Ana se deparou com um verdadeiro banquete, até perguntou se mais gente viria para o jantar, mas, logo viu que era somente uma das formas da família de Miguel exibir opulência e vaidade. Tudo ocorreu bem naquele dia, todos se empanturraram, riram, fizeram piadas de gosto duvidoso e então a mãe de Miguel mostrou a casa para Ana que ficou encantada e não cansou de elogiar tudo aquilo.
    Porém, no dia seguinte Ana foi convidada a retornar a casa de seus sogros em potencial, mas, não era para jantar. A mãe de Miguel a acusava de ter roubado um pente de seu quarto.  Com cabo de marfim e a cabeça de uma raposa esculpida nas extremidades dele, tinha grande valor para a família de Miguel, em especial sua mãe que disse viu Ana admirar o objeto enquanto ela lhe mostrava o seu quarto.
    A acusação é de que Ana pegou o pente em um momento de distração da mãe de Miguel que dizia ser Ana a única suspeita do roubo, Ana negava veementemente, Miguel defendia Ana e o pai de Miguel quase dormia ouvindo a discussão. Ana, brava, rompeu com Miguel, disse que precisava de um tempo.  Depois de mais ou menos um mês Ana apareceu novamente com Miguel no pub, o pente reapareceu nas casas dos pais dele, estava dentro de uma gaveta e sua mãe se desculpou com Ana que nunca pareceu tão feliz.
    Durante um tempo essa harmonia reinou no universo do casal, mas recentemente Ana apareceu mais uma vez sem Miguel.  Ela confessou que estava muito nervosa no dia que conheceu seus ex-sogros e, em um ato que lhe escapa a compreensão, pegou o pente. Vendo a confusão que tinha armado “plantou” o pente novamente no seu cômodo original mas se remoendo de culpa e contando com o suposto amor  incondicional de Miguel contou tudo para ele.
     Mas Miguel não teve a reação esperada por Ana e deu fim ao namoro naquele momento, na verdade nunca mais tornaram a se ver ou a se falar, Ana passou por um breve período de depressão, mas hoje até ri do episódio. Miguel se sensibilizou tanto com a situação que voltou a morar com seus pais  e no ultimo natal deu uma caixa cheia de pentes raros para sua mãe. Parente é, ter pente.

Vlad Galli