quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Calada da noite

São quase 3h da madrugada do dia 15.
A vida parece estar voltando nos eixos.
Exceto, é claro, pelo detalhe (que tem nome e sobrenome) sobre o qual me recuso a escrever.
Mas eu tenho que escrever.
Só que eu estou muito exausta para elaborar qualquer crítica social, econômica, política ou filosófica.
Mentira. 
É que eu só consigo pensar no 'detalhe' mesmo... 
Mas li esses tempos que se a gente não consegue superar algo, que pelo menos aprenda a superar o vicio de falar a respeito.
Esta sou eu, não falando. Por mais 24 horas.