quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

E se não acabar?

Desde a virada do último ano-novo, o assunto é o fim do mundo. 
Não se fala em outra coisa. Os dias passaram, quantas pessoas passaram, tantas coisas aconteceram, tão rápidas, e de repente o dia de tudo acabar já está aí. 
Amanhã.
E motivos não faltam para não duvidar de que o fim está mesmo próximo: pessoas que se atropelam, amores que dilaceram pessoas e crianças que vão pro lixo no sentido mais literal e cru, falcatruas políticas de proporções inimagináveis que passam ilesas diante de tantos olhos indignados, impotentes, corações tão apertados quanto o orçamento das contas de casa. Ninguém mais cede. Mas tudo bem, a gente afrouxa e esquece desse sofrimento todo com qualquer coisa que nos faça rir de imediato, com qualquer novo amigo que nos mostre uma foto do que vai comer agora, e depois descarrega torcendo pro nosso time ser o campeão!

O tempo. Depois da banda larga, a velocidade do tempo está alterada. Tudo é agora, tudo está na mão a um clique, tudo é muito rápido: ao mesmo tempo em que a Luísa está no Canadá, milhões de crianças doentes e animais abandonados pedem a sua ajuda apenas compartilhando esta mensagem. Uma enorme variedade de revelações e opiniões sobre a injustiça mundial explode em RGB na nossa frente, mas no poder continuam sempre os mesmos. E enquanto as revoluções, protestos, e caridade rolam dentro deste enorme Second Life que a internet se tornou, do lado de fora cada um se tranca em sua bolha e nem repara em quem esbarrou, em qual pé pisou, no que a mãe ou o pai avisou... e a vida vai passando na mesma velocidade.

Até que chega hoje. Um dia antes de acabar o mundo. 
Todo ano o mundo acaba e começa de novo para todo mundo. Na teoria ganhamos mais 365 dias novinhos para consertar as merdas que fizemos no ano passado e sermos alguém melhor. A esperança sempre ali, no finalzinho de tudo, nos salvando e chutando a nossa bunda pra frente. 

Só que não amanhã. Amanhã é diferente, amanhã o mundo acaba mesmo!
Sem volta.
Os maias disseram, é definitivo!
Como disse o Nostradamus, dessa data não passa! Mas dessa vez é verdade!

Mas, e se não acabar?
E as pendências que eu queria deixar passar?
Aquela conversa que eu precisava ter tido com a minha mãe?
O abraço que eu devia ter dado nos meus irmãos?
E o salário que eu falei que ia pro meu próximo mochilão?
Todos aqueles cursos que eu ia fazer ano que vem, o emprego novo que eu ia procurar?
Aquele tanto de folhas em branco na gaveta, e as ideias que eu deixei de rascunhar ?
As fotos que eu queria ter revelado, as cartas que podia ter mandado?
O que eu faço com todos os meus projetos parados?

Será que eu já estou conformado que não ia mesmo dar tempo de fazer tudo que havia programado e já aceitei o fim? Assim, de graça, sem fazer nada? 

Aaaah, não mesmo!!
Pois vai acabar e já!
O mundão nosso de cada dia, eu não sei, mas esse mundo de coisas que venho deixando acumular e que acabou me tornando uma grande curva de rio. O fim dele começa agora, chega!
Chega de coisa parada, chega de roupa usada, chega de fazer sala.
Chega do que ocupa algum espaço que não é mais, de deixar a vida escorrer e fazer pouco, ou fazer nada, de apenas vontades que poderiam ser bem mais se virarem verdades.
Vai zerar.
Depois desse fim, vou criar um mundo novo totalmente diferente, com mais mil projetos, objetivos e metas, pra ir mudando, acabando e criando tudo de novo toda vez que me enjoar. Mas vou tentar não atrapalhar o mundo de algum vizinho, nem bagunçar (muito).
Vai começar, e já!

Porque quando o mundo acabar de verdade, da minha parte, vou querer que fique tudo arrumadinho.



... e por falar em acabar, acaba aqui também a minha temporada no Blog dos 30!
Explico: já não é de hoje que os dias 20 passam em branco, venho enfrentando um duradouro bloqueio criativo; por outro lado, mas há um bom tempo também, estou me dedicando em finalizar diversos outros projetos e planos em que me enfiei e que acabaram encostados do lado de fora (da internet).
Por isso, decidi ceder espaço a novos talentos que possam aproveitar melhor este dia, para noooooossa alegria, e enquanto eu permaneço na minha missão de definir pra quais linhas vou pular depois de cada ponto final.

Grande beijo, obrigada e sucesso ao blog!