segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Inveja Branca. Ou não.

Eu sempre achei injusto que algumas pessoas fossem mais bonitas que as outras. Mais inteligentes que as outras. Mais amadas que as outras. Mais sortudas que as outras. Fui uma comunista espiritual. Algo assim. Que porra de Deus imparcial é esse? Hoje me divirto com minhas sinas.

Pessoas bonitas, agora invejo menos vocês. Verdade. Pessoas inteligentes, vocês ainda me deixam embasbacada. E quando é são as duas coisas junto? Como lidar? Só sofrendo em silêncio mesmo.

Agora, o que eu invejo, invejo, mas invejo de verdade mesmo é quem sabe dançar ou cantar. Tem coisa mais legal que uma pessoa malemolente? Poxa, puta inveja. Como que vocês, malemolentes, conseguem ver uma pessoa dançando e já sair fazendo igual? Isso é impossível pra mim. Mesmo. Não é timidez. É total incapacidade. Não tenho o reflexo de espelho. Sei lá. Nem valsa, nem forró. Não sei nada. O corpo não corresponde aos comandos do cérebro.

Se Deus existir e for bom, na próxima reencarnação ele vai arrumar esse pequeno defeito de fabricação, e vou sair como vocês, dançando por aí. Ou cantar. Cantar bem seria legal também. Uma coisa Nina Simone. Dá pra ser?