quarta-feira, 29 de outubro de 2014

aquele abraço!


Diferente da maioria a curiosidade por aqui só atingiu nível máximo no primeiro turno, pois estava ansiosa para saber o tipo de eleitor que mais se destacaria nas eleições, principalmente em São Paulo.

 E quando divulgado quais candidatos receberam o maior número de votos pude confirmar algumas dúvidas e esclarecer impressões que nitidamente apontavam os rumos do segundo turno.

Antes considero importante desvincular a espantosa e horripilante ascensão do conservadorismo nas eleições de 2014 com as Jornadas Junho de 2013 e para isso venho concordar plenamente com o integrante – Legume do MPL:

“Quem aposta na via eleitoral para explicar a Junho está completamente equivocado. Se você espera que é a mobilização popular que vai alterar as eleições, você não entendeu nada sobre mobilização popular nem sobre eleições. A grande questão de junho é que foi uma via não institucional, que a gente apostou e que a gente continua apostando”, explica.
Legume reforça que a esquerda tinha que fazer uma autocrítica e rever sua ausência dos movimentos de base. “Então, se o projeto eleitoral não se realizou, isso não tem a ver com as mobilizações de junho. Junho foi a prova de que a esquerda precisa voltar a fazer trabalho de base, se organizar diretamente, para a partir daí poder crescer.”
O membro do MPL ainda ressaltou que o legado das Jornadas de Junho estimulou as pessoas a lutarem ainda mais e a se articularem de maneira autônoma. Legume também declarou que o posicionamento do movimento no segundo turno "será o mesmo."
“Não são das urnas que virão as transformações reais para a população, e sim da organização popular. As ruas não estavam pedindo um novo salvador, mas estavam se organizando para se criar outra coisa”, conclui.
(José Francisco Neto – Brasil de Fato – 10/10/2014)

Feita a divisão compreendemos porque determinado deputado em São Paulo recebera cerca de 1 milhão, veja, se trata de um milhão de votos, sendo um dos representantes do alto escalão de determinada igreja, que lembre-se recentemente esta igreja inaugurou um dos maiores se não o maior templo erguido neste país. Haja dízimos, ofertas, propósitos e demais contribuições.

Fico aqui na minha reles mentalidade medíocre pensando quantas minha casa minha vida 1,2 e 3 bem como quantos prédios de locação social não seriam construídos com todo dinheiro arrecadado para a construção da casa do senhor.

Escrevo senhor no minúsculo, pois creio não ser o mesmo Senhor que conheço que não precisa de templos com pedras vindas de Israel ou de cerimônia do antigo testamento do qual Ele aboliu que se fizesse referenciando-nos em apenas dois grandes mandamentos que se diga são dificílimos de praticar ou é necessário ainda que se faça cartilha de moda para comparecer ao templo e falar com Ele.

Acontece apenas com esta igreja cujos donos têm uma emissora que está em busca de ser uma rede globo gospel? Não. É impressionante como está acontecendo noutras, chegou ao cúmulo do absurdo de nas eleições termos a presença de excelentíssimos cristãos norte americanos com pronunciamento de profecias que não se cumpriram, fiz questão de assistir bem como de observar que não aconteceu nada do que fora dito, então quem foi mesmo que falou?

Se alguém pergunta se acredito em Deus mesmo após diversas decepções quando no passado era atuante e ativa enquanto membro de determinada igreja (e conhecendo a doutrina de várias igrejas) se mesmo assim ainda acredito em Deus após conhecer através de leituras Marx, Foucault, Pepetela, Rosa e outros, digo sem titubear que acredito no Pai, Filho e Espírito Santo e ainda confirmo que mantenho relacionamento íntimo com direito a oração e tudo mais. Coisa de louco? Pode ser. Talvez mude, mas creio ser difícil. E porque não juntar o que é bom e me cabe ao invés de separar ou ser isso ou aquilo que dizem que devo ser e não ser nada, nem mesmo o que quero, posso ser.  E permito que tire suas próprias conclusões, pois o que pensam e acham de mim não é um problema meu, pode acreditar.  

Com isso declaro guerra contra o povo de Deus? Não.

Mas compreendo ser necessário avaliar o grande progresso dos templos, tornando-se verdadeiros caixas eletrônicos no somente pedirem ofertas, dízimos, propósitos, carnês, pagamento em prestação usando a função crédito; tanto é que os comparo com as agências do banco Bradesco a cada esquina do cabrobrorô do sertãozinho existe uma, mas na questão do dízimo está resolvido darei o meu na seguinte divisão 10% do salário dividido para organizações que fazem caridades ou associações que visam outra sociedade (exemplo AAENFF – Associação dos Amigos da Escola Nacional Florestan Fernandes) e o que sobrar entrego para igrejas com projetos sociais provavelmente as católicas pois são as que mais se envolvem nas expressões da questão social mais do que as evangélicas/cristãs. Pior é notar a constante ocupação da política como forma de angariar ainda mais espaço na sociedade.

Torna-se mais evidente esta ocupação política quando na inauguração do novo templo são convidados duas figuras políticas importantes, governador e presidente.

Neste ínterim o governador curiosamente já se erguera após os acontecimentos de Junho de 2013 quando fez péssimo uso da segurança pública contra manifestantes (um dos motivos de ter engrossado os atos), ao controlar as manifestações que tinham “pessoas violentas” (ou na verdade os P2) que compareciam aos atos não para manifestar, mas com objetivo de acabar com a festa da Copa.

Através da judicialização (e criminalização do direito de greve) controlou a greve dos metroviários como bem lembrado pelo programa Roda Viva da TV Cultura no debate sobre as eleições de 2014; através do veto de qualquer informação e divulgação sobre a crise da água afirmando várias vezes que não ocorreria racionamento; através da atuação na Copa unindo policias civis e militares mesmo precariamente; e principalmente através da segurança pública usando-a como curral eleitoral ao designar batalhão especializado (ROTA) no combate à violência no interior paulista (onde recebeu maioria de votos), também pelo uso da segurança tão bem exposto pelo ex-secretario de segurança  que não somente falou da gestão do atual secretario de segurança resumindo como lixo bem como do governador e da porcaria ou falácia que é o detecta carro chefe da propaganda eleitoral. É uma pena ter mencionado sua opinião e terem divulgado apenas após as eleições.

Mas independente disso a visita na inauguração do templo havia lhe garantido milhares de votos mesmo se o citado fosse divulgado antes das eleições de nada adiantaria. Portanto pode-se compreender porque e quem perdeu no primeiro turno ao acreditar que apenas com presença do eleitor histórico (Lulalá) e na crença que ainda exista base política forte na periferia como antigamente e a favor do seu partido pudesse eleger candidato a governador, senador e presidente facilmente, sem grandes entraves. 

Ou iludiu-se ao julgar que os cristãos ultraconservadores seriam fieis à senhora porque visitou o templo e marcou presença como autoridade máxima, os números do primeiro turno mostraram que não, tanto é que pretendem ser oposição com o mar de lama instaurado na política e obviamente contra a capetada que usa vermelho, a cor do diabo (portanto são os filhos do cão, são eles os sovietis, venezuelitas, bolivaristas, cheguevaristas, comunis, socialis, anarquis bem como todos do petê e humpft haja paciência eim com tanta ignorância, ainda bem que encontro teses defendidas por cristãos com viés marxista às vezes até mesmo anarquista, o que ajuda a ter esperança na vida e nos outros).

Mas rapaz, vê se não é de lascar! E dá uma vontade danada de dizer -  vai orar e buscar o conhecimento de Deus e dos homens que faz bem e ajuda a viver e tomar vergonha na cara! Pois Deus não muda você, se assim você não quiser, pois Ele tem mais o que fazer, é muita gente para olhar e transformar se assim quiser, do que insistir com gente que não enxerga o cisco ou trave nos próprios olhos. Fica só no vem com Deus no vai com Deus e ignora o mundo ao redor servindo de servo para homens que não querem saber de nada além de dinheiro. Não é apelo para sair da igreja mas sim compreender que Deus não se resume em dinheiro e no ter na forma mais capitalista e selvagem impossível. Vai se converter em cristão diacho de gente sem noção!

Não bastasse isso resta também à ascensão de outra ala ultraconservadora. Não tenho outra palavra para definir quando policiais reacionários ocupam cargos públicos com disseminação da defesa da violência para redução da criminalidade, redução da maioridade penal (a discussão iniciou aqui) e principalmente ao querer revitalizar ideias já ultrapassadas, resolvidas pelas linhas da história do país. Ou alguém acredita ser possível em pleno século XXI dividir o país ao meio, com a união do sul e sudeste separando-os do restante do país. E posso concordar desde que toda mão de obra e todos trabalhadores nordestinos (domésticos, prestação de serviços, pedreiros, garis etc) e descendentes possam ir embora e deixá-los a morrer no mar de ignorância e cemitério de cidades.

Não sou contra a ocupação de policiais em cargos políticos desde que não sejam retrógrados, reacionários e ultraconservadores principalmente ao tentar culpar nordestinos e culpabilizar os 30 milhões de votos nulos (fruto da decepção com políticos e partidos) como responsáveis pelas mazelas do país ou do resultado das eleições (ganha democraticamente e sem dúvidas quanto à vantagem) como o coronel julgou e acusou de forma equivocada.

É necessário se desprender de roupagens velhas da década de 30. E compreendo que exista avanços na perspectiva de segurança pública para repensar algumas questões, prova disso são as discussões promovidas por um grupo de policiais baianos na divulgação de ideias, propostas, indagações através do site abordagem policial para melhor compreensão de como podemos crescer intelectualmente e politicamente seja no debate ou no intuito de nos organizar politicamente principalmente enquanto pessoas que querem de fato uma mudança e não a conveniência de alguns privilégios apenas para poucos e de maneira restrita.

E não se enganem há de ser anos difíceis principalmente pela cegueira que insistem em se manter para não enxergarem que as injustiças e mazelas sociais acontecem justamente pela manutenção dos setores reacionários e ultraconservadores. Mas como explicar isso para quem acha que Deus é caixa eletrônico que o templo é banco, que segurança pública  pode ser curral eleitoral e policial reacionário pode ocupar cargos públicos e políticos, porque embora acredite que não deve satisfação a ninguém mais do que seus eleitores o cargo do qual ocupa é público e portanto é direito de todos reivindicar e reclamar se assim precisar. Talvez agora possa também compreender o discurso do guardei a carreira,  a fé e o cinismo. É de doer e gritar feito louca.

Então resta mandar AQUELE ABRAÇO para àqueles que cooperam (especialmente as pessoas do norte, nordeste, minas e rio) de alguma forma seja no voto, seja na luta, na disseminação de boas ideias e propostas que notaram a importância de se posicionar contra determinados tipos de conservadores e setores reacionários, AQUELE ABRAÇO, bem apertado com direito a cheirar o ombro de tão forte, AQUELE ABRAÇO.