segunda-feira, 29 de junho de 2015

boca de lixo

Até poderia ser o título, mas é na verdade o nome da produtora das minas.

E quem diabos são e de onde vem, e isso importa?

Ó mais é óbvio meu caro (a). É como dizem sabe, me diga de onde vens que te direi quem és. Opa! Tem alguma coisa errada nesse ditado aí porque já pensou se o lugar revelasse tudo de um povo?

Pensar que ultimamente dizer de onde é pode ser referência para a prosperidade ou  sofrimento e  desgraça. E haja dado,  estatística em mapas da violência pra confirmar isso.

Daí vem uns deslocados (as) e dizem: olha só promovendo a perdição dos jovens! Só porque está num bar? Não, existe perdição pior acontecendo  e ninguém se importa. Em tempos de clamor zuado, bar é nada.

Só pra descontrair olha o colega batendo um prato no fundão? Chorei de rir, quase não prestei atenção na letra.



E pegaram pesado, só não curto o xingar as que querem rebolar, sabe o que é, ter um sistema dizendo 24 horas por dia que o seu valor está em ser gostosa dá nisso, na reprodução da mulher como mercadoria entende. Enfim, daí o negócio é zica demais e não tenho tempo prá mais, preciso dormir, sonhar.


Mas sabe qual é a de hoje?
O desejo de que isso mude. Isso o que? Nossa meu Deus já esqueceu?

O lugar não determina quem é!  
É bom (re)lembrar a determinados reacionários e conservadores que a maioria das desgraças que acontecem no mundo são planejadas em piso de mármore com telhado caro e sem laje, além do espaço goumert.

Não vem achar que onde tem laje e pobreza só tem coisa ruim. Desconfia disso aí sempre, quem foi o fio da puta que disse, porque lá nos extremos pobres nasce gente e vem coisa boa o tempo todo. O problema é oportunidade, é valorização sabe.  

E veio. 

Elas são do lado de cá, do logo ali bem distante no fundão da ZL, mais necessariamente da Cidade Tiradentes. E super presença mano de voz, letra, batida da mais alta qualidade. E não só merecem a apresentação, mas também “muito obrigada” pela vinda,  valeu!

E não se trata dos $100 reais, mas de compreenderem o momento, que se tivéssemos com certeza daríamos mais por aquela apresentação no Butantã e no 1OC. E que p***a é essa? A te conto no final do ano, se eu sobreviver. E  veja aí o quanto são Trincas e merecem tudo que puderem alcançar.



Depois da dica, aviso que a sicrana aqui anda atolada e louca de tanta coisa prá fazer. Daí  volto no final de semana aqui ou acolá, prá desenrolar uma conversinha fiada.