sábado, 21 de novembro de 2015

As pessoas mudam...

Sempre fui do tipo que gosta de exaltar as pessoas, ou melhor, exaltar nas pessoas aquilo que nelas me chama a atenção.
Elogio sempre, claro, com todo o respeito devido! 

Aqui neste blog, me tornei um verdadeiro fã de pessoas que escreveram (e alguns e algumas que ainda escrevem) sobre tudo um pouco.
Nunca escondi que sou um eterno apaixonado pelo cotidiano.

Acontece que, tempos atrás, fui elogiar uma moça, que escrevia aqui, tempos atrás (conferi na lista de blogueiros para ver se era daqui mesmo que a conhecia) no Twitter!
Nada demais! Elogiei, mais ou menos assim: "Sou fã do seu trabalho! Continue assim, linda e inteligente", algo nessas palavras.

O quê recebi de volta, em rede nacional, foi um ESPORRO, meu amigo, dizendo que não era pra eu escrever aquilo, pois não a conhecia, e eu não tinha o direito de elogiá-la.

Estranhei! 

Em outras oportunidades, ela havia sido super simpática comigo, tanto aqui no blog, como depois pelo Twitter mesmo!

Tava aqui pensando comigo: "Por quê as pessoas mudam tanto assim?!"

Obviamente sei que todos mudamos. 
Mas é raro de ver pessoas que eram educadas, se tornarem o contrário depois.
Pedi desculpas na hora em que vi o tweet me detonando. Claro, publicamente também, dizendo que minha intenção nunca foi a de ofendê-la. 

Acho que joguei mais lenha na fogueira. Ela continuou me arrebentando, e mandou que eu parasse.
Pedi desculpas uma vez mais, e prometi que não aconteceria nunca mais.

E não aconteceu mesmo.
Deixei de seguí-la (no Twitter, deixando bem claro) naquele dia.

Fiquei chateado. Era alguém que eu admirava bastante. Que já havia trocado altas ideias comigo, mas que naquela ocasião, foi grossa e nem entendi o por quê. Parecia também que nunca havia falado comigo antes.

Não sei se é porque hoje ela trabalha numa empresa de renome mundial ou o quê.
Só sei que, deste que vos escreve, ela não verá nada mais publicado.
Até porque ela escolheu assim. E eu, só pude acatar a decisão.

Quis compartilhar isso com vocês.

Se forem mudar, por favor, que sejam pessoas melhores.
Prometo que se eu for mudar, farei o possível para conservar pelo menos a minha educação.

Abraço.
Até o mês que vem.