quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Verão

O mundo se divide em dois tipos de pessoas: gente que ama o calor e gente normal.

Se você, assim como eu, aguarda ansiosamente que o governo crie o plebiscito do verão para votar "não", chega mais! Vem pra cá! Se você, assim como eu, não se lembra da última vez que usou uma calça jeans sem precisar ser colocado no soro, me dá essa mão suada! Me dá um abraço melado! Eu te compreendo.

Você acha que o canto da cigarra é o arauto do apocalipse.

Você considera estado de calamidade pública toda vez que a temperatura ultrapassa a sua idade.

Você vive uma espécie de fábula invertida. "A Cigarra e a Formiga" do Mundo Bizarro. O que você economizou no inverno, você gasta pagando a conta de luz no verão.

Você se sente um urso hibernando ao contrário. Você só sai do ar condicionado da sua casa para trabalhar porque precisa ganhar dinheiro para pagar o ar condicionado da sua casa, fenômeno conhecido como O Grande Paradoxo do Verão. 

Você se irrita com a falta de assunto generalizada. Você se irrita com as pessoas que só falam do calor. Você se irrita com as variantes "Hoje está melhor do que ontem" e "Hoje está pior do que ontem" seguidas do clássico "Vai piorar! Vai piorar! É o que estão dizendo por aí".

Você reage ao convite para qualquer evento diurno ao ar livre com o mesmo assombro de um cossaco ao ser chamado para jogar uma pelada no time dos sem camisa num campinho da Sibéria. 

Você faz maratona de O Expresso Polar, Frozen, A Era do Gelo, O Dia Depois de Amanhã, Apollo 13, Jamaica Abaixo de Zero, O Iluminado e aquele filme do avião que cai nos Andes. A cena do Jack Nicholson congelado no labirinto não te causa pavor algum, apenas uma leve inveja.

Você não sabe o que é pior: o suor, o calor senegalesco, o suor, os bichinhos de luz, os mosquitos, os insetos de um modo geral, o suor, o ônibus lotado sem ar condicionado parado no engarrafamento, o suor, o temporal no fim da tarde, o suor ou qualquer jogo do campeonato carioca.

Você cantarola no banho "fundamental é mesmo o chuveiro, é impossível ser feliz em janeiro".

A única coisa boa do verão é que, em algum momento, ele acaba. É o que estão dizendo por aí.