quarta-feira, 4 de maio de 2016

Fatinha do bolo negro

Ela só quer um pouco
do dobro do dobro do dobro 
do pão com ovo que tem pra almoçar.
Um pouco do muito, alcançado, 
por parte de um povo, 
que torturou seu próprio povo,
até chegar lá.

Ela também quer curtir e aproveitar.
Só tem 15 anos, 
mas já trampa e ainda vai estudar, 
Nasceu ouvindo que um pouco do dobro 
é a metade de tudo que vai alcançar.

Segue em frente.
Ela mostra pro povo,
que um pouco do ouro, 
é muito para quem queria só um jantar.

Sente o frio, que queima a pele do povo
nas ruas, largados pra lá.
Pros lados de cá, nos morros,
o dobro do povo quer alcançar,
os postos do pouco do povo que pode chegar lá. 

Ela tem consciência, 
que da ponte pra cá,
a paciência é a melhor arma, 
para ninguém se matar. 

Se tiver sapiência, 
vai por na cabeça do povo, 
que dividir e compartilhar, 
é mais lindo que quando você conquistar e postar 
uma foto num lugar
onde a comida custa o dobro do dobro do dobro
do preço de um prato com ovo 
que a maior parte do povo tem pra almoçar.

E ela quer viajar, 
visitar os seus pais,
Passar as férias de Julho, 
no interior de Goiás.

Ela quer conhecer o mundo, 
e que o mundo a conheça. 
Sem prepotência...
só quer dividir o que tem na cabeça, 
e às vezes pesa a consciência.

Ela só quer um pouco
do dobro do dobro do dobro 
do pão com ovo que tem pra almoçar.
Um pouco do muito, alcançado, 
por parte de um povo, 
que torturou seu próprio povo,
até chegar lá.

Seu povo tem cor, mas a multidão é colorida. 
Ela luta pelo preto, pelo branco 
e por quem nem sabe o que é cor ainda.

Ela quer sua merenda, 
cansou de ser oprimida.
Sai por ai com seus bolos e planos,
ganhando sua própria vida.

Quando ela pega o microfone, 
fala tudo que tá na cabeça.
Faz calar William Boner,
e bota as cartas na mesa.

"_É que a polícia diz que faz seu papel,
defendendo quem pega na caneta,
para deixar estudante com fome, 
e nossos pais na sarjeta.
Se o Estado oprime uma criança, 
alguns pais se abstêm da defesa.
Como querer um país mais justo, 
se o tal "pessoal do bem" 
não tem atitude coesa?
Eu quero lápis, caderno, 
e mais comida na mesa."

Ela só quer um pouco
do dobro do dobro do dobro 
do pão com ovo que tem pra almoçar.
Um pouco do muito, alcançado, 
por parte de um povo, 
que torturou seu próprio povo,
até chegar lá.