terça-feira, 10 de maio de 2016

Não sei.

Escrevi uma carta, não foi entendida.
Gravei um áudio, não foi bem explicado.
Pensei em desenhar, chorar, exemplificar de alguma maneira, mas não adiantava.
O que eu sentia não era coisa fácil de explicar.
Sentei ali na varanda, fiquei pensando em todas as vezes que pensei ter entendido um sentimento alheio e de repente, tudo se tornou um vazio.
Até dos meus pouco entendia.
Não havia como explicar, ou havia e eu que não sabia.
Pensei em todos sentimentos conhecidos por mim, os bons, os ruins, os maravilhosos e os ''malacabados'', percebi que só sei mesmo sobre esses porque por mim foram sentidos.
Nunca se sabe exatamente sobre os outros.
Não me dei por vencida, fui ali no dicionário e procurei sentir, foi infantil achar que ali descobriria.

Desisti.

É verdade, senti impotência sobre esse clichê, mas sentimento só se sabe quando se sente.