segunda-feira, 18 de julho de 2016

A Vida é Cheia de Som e Fúria

Aumentamos o volume da música quando o barulho da vida fica intenso, não é necessário nenhum botão, é automático. Tão automático como estender o “foda-se” pro que não importa mais, enquanto os nossos fones estouram os tímpanos.

Tocar a música que toca vidas sempre é prazer, não é trabalho. Melhor do que uma semana de regras, barreiras e gente suportável, é uma noite de Sábado na qual tocamos uma música que salvou a semana pra quem precisava extravasar, pra quem teve que aguentar as regras, barreiras e gente (in)suportável.

Play, pra quem tem barulho na alma e alma que não se acomoda e se aquieta. Nos fodemos muito na vida sim, mas a gente levanta já chutando, rindo e tomando mais uma. Depois, podemos escrever sobre isso também. Além de escrever, também rimar, isso é pra poucos e ousados... “Onde há muros há o que esconder.”

Os sorrisos dos que dançam e tocam a vida e na vida são vencedores, pois estes resistem e quem resiste sempre está vencendo. Podem não ter tudo que querem, podem não ter quem querem, mas são o que querem!

Ideais sem atitudes são hipocrisia ou covardia, isso não merece música. Mas pra quem tem ideias, ideais e atitudes, não precisamos chutar traseiros, apenas apertar o Play mais uma vez, com músicas de atitude.

Kick out the Jams, motherfucker!                                     
You Rock!