quarta-feira, 6 de julho de 2016

Flores e arbustos

Foi Paloma quem pediu João em casamento, ali no parque, entre arbustos e flores; e ele disse não.

Daí então é que começaram os encontros, primeiro ela começou a fazer caminhadas, o que nunca fez durante todo tempo do namoro. No inicio para encontrar João, casualmente, nas alamedas de cooper, mas acabou conhecendo Ana.

Ana fazia caminhadas já há algum tempo, anos, e foi ela quem se aproximou de Paloma, porque reparou que a novata, no esporte, não fazia alongamentos. Agora Paloma caminha porque pegou gosto e Ana porque gosta das coxas de Paloma.

João conheceu Rogério, homem casado, que o parabenizou quando ficou sabendo da recusa a Paloma. E começaram a se encontrar para caminhadas, sempre regadas a histórias de aventuras masculinas.

Gustavo não conhecia nem Ana, nem Rogério, nem Paloma, nem João, mas pediu Mário em casamento, não ali, no parque. Meses atrás, em uma boate gay. Mário, ao contrario de João, aceitou, e eles fazem caminhadas no mesmo parque que os outros, de mãos dadas.

Julia conhece Ana, Paloma, João, Rogério, Mário e Gustavo, mas nunca falou com nenhum deles, porque para seu desespero ninguém, ao fazer caminhadas, parava para falar com meninas de cinco anos, montadas em triciclos, e suas perninhas gorduchas de infância não pedalavam o suficiente para acompanhá-los. Sabia os nomes de todos porque Laura e Rodolfo, os pais, tinham um trato: um acompanhava a filha, enquanto o outro fazia a caminhada. Nessas idas e vindas acabavam acompanhando, por uma ou duas voltas, alguns dos pares presentes, mas nunca se ligavam a nenhum.

Laura ficava meio assim quando Rodolfo acompanhava Gustavo e Mário. Na vez de Laura, preferia a companhia de João e Rogério que apesar de só falarem sobre trabalho, eram simpáticos. Rodolfo é que sabia do trabalho dos dois e observava severo a caminhada da esposa.

Lisa não conhecia ninguém, nem de nome, caminhava sozinha, vinha de vez em quando.

O problema se deu quando Madre Maria resolveu fazer caminhadas. O médico, o qual não sei o nome, fora taxativo tinha que fazer exercícios. E ela começou pela caminhada, exercício difícil de fazer de hábito, depois pegou jeito e passou a corrida.

Corria atrás de todos tentando pôr as coisas no lugar, primeiro Laura e Rodolfo, o que Deus une o homem não separa, nada de acordos! Depois encrencou com Rogério, homem casado sem esposa que caminhasse sozinho; e Lisa, que andava sozinha, onde já se viu, devia andar com João, homem solteiro, se perde fácil.

Mas bagunça foi quando, depois de muito rezar e comprar tênis novos com amortecedores, ela resolveu correr atrás de Mário e Gustavo. Foi um corre-corre e quem não estava satisfeito aproveitou!

Julia ficou sozinha no seu triciclo, mas por pouco tempo: Lisa a levou pra casa.

Rogério ficou rindo, só, encostado em uma árvore. Laura encontrou Ana. Mário e Gustavo corriam a uma distância razoável de Maria, mas o suficiente para ela ver as mãos dadas. Rodolfo ficou procurando Lisa e depois se percebeu de Júlia. Paloma, que se perdeu de Ana, foi encontrar João escondido entre flores e arbustos. Ele comentou: que loucura aquela! E aproveitou para dizer que gostava de Paloma, mas que eram os homens que pediam as mulheres em casamento!

Paloma saiu em caminhada, sem responder, nem alongar, talvez tenha lançado um olhar duro de indignação. Depois, quando já estava longe, abriu um sorriso maroto, faria caminhadas com João na semana que vem, ou na semana seguinte, ou um dia desses.