sexta-feira, 1 de julho de 2016

Você não é um impostor. Ou não é mais do que todo o resto de nós.


 Admito: Nas últimas postagens que fiz para o blog escrevi, sem dúvida, textos que estavam aquém do que eu gostaria. Falta de tempo, eu alegaria. Esquecimento. Falta de inspiração. Problemas familiares, econômicos, sociais, todos. Eu poderia alegar todas essas coisas , e elas seriam verdade. E não, esse NÃO é um texto meritocrático-todo-mundo-consegue-sou-fã-da-Bel-Pesce. A vida fode a gente, cada um sofre do seu proprio jeito e eu não estou aqui para zombar das dificuldades de ninguém. 

Estabelecemos, portanto, que eu acho que a vida não é justa e que sempre há um monte de motivos verdadeiros e importantes para parar as coisas que se faz por amor e não para pagar as contas. E é aí que, nas palavras de uns chegados "o bagulho fica louco". A vida atropela, as coisas parecem não ser prioritárias , e ninguém de nós é o Stephen King, capaz de trabalhar incessantemente e disciplinado apesar de todas as crises do mundo. E como você não é capaz de chegar ao nível dessas maravilhosas anedotas , se sent eum fracasso. 

Eu entendo isso. Você  não é a pessoa que sonhou ser. Não alcançou tudo o que a sociedade diz que seria "sucesso". Você ouve todo esse discurso de "Empreendedorismo salvará o mundo" e "se você quer você consegue" e não se identifica. Isso não é um problema da geração Y, Z ou W. Isso não é você sendo mimado em relação ao mundo. Isso é você sendo uma das pessoas normais, a maioria delas para quem nem tudo dá certo. E eu vou te falar: nós somos a maioria.

Você não é medíocre porque sua arte não mudou o mundo, nem se nunca mudar. Não é um fracasso se não é milionário aos 25, aos 35 nem aos 80 anos. O lance não é baixar as expectativas, nem acreditar 100% que tudo dá certo. O lance é que você está vivo e dando conta das suas merdas, ou está sendo esmagado por elas. Mas os seus percalçoes e glórias são seus. Não deixe pessoas que não tem esse direito te cobrarem, te fazerem sentir menor ou ridículo. Não ache que você é um impostor porque não leu aquele livro, não fez aquele curso ou não trabalhou naquele projeto, porque ainda dá tempo de fazer, ao menos, algumas dessas coisas.

Se cobre, produza, escreva, leia, poste. Mas não deixe o processo de se cobrar se tornar maior do que a parte que te animou a fazer as coisas . Você é foda, e nunca deixe ninguém te dizer que não há mérito ou força em você. Arrasa, amigue, porque esse é o tipo de coisa que mais gente precisa de incentivo pra fazer.

Um abraço, e meus sinceros cumprimentos para vocês que, apesar de tudo, continuam tentando, mesmo tendo um ou trezentos dias ruins no ano.

João