quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Dona Raquel

  Primeiro dia indo para o novo trabalho. Eu estou de cabeça cheia na fila do ônibus quando chega logo atrás de mim, uma senhora de 60 e poucos anos puxando conversa.
  Dona Raquel começa a contar a vida toda, conta que tem dois filhos e que o marido com quem era muito feliz morreu tem dois anos.
  Ela diz que cuidou dele, que agora está começando a sair com outros homens e que era difícil porque ela e o marido se entendiam muito bem na cama, e ela sentia falta disso.
  Entre outras histórias que foi da fila do ônibus até chegar na casa da amiga, uma de quando era jovem me fez esquecer por alguns minutos minhas ansiedades:

  Dona Raquel ainda jovem, com uns vinte anos, esperava o marido chegar em casa, planejando uma noite apimentada na cama. Mas nessa época os dois filhos do casal já eram nascidos e dormiam em um beliche no quarto do casal.
  O marido chega em casa e a família senta na mesa para jantar, inquieta ela pergunta para o marido:
  -Vai ter "festinha" hoje?
  -Vai sim! -responde ele, entendendo a indireta.

  Acontece que a noite é longa, e o filho mais velho não quer dormir por nada, uma hora o sono vence e enfim o casal pode se divertir.
  Logo que acabam, conversam baixinho, pra ver quem vai tomar banho primeiro:
  -Vai você primeiro, depois vou eu.-diz dona Raquel ainda deitada na cama.
  Logo o marido liga o chuveiro, e o filho mais velho acorda nervoso e começa a chamar o irmão no beliche:
  -Acorda tonto! Não tá vendo? Eles vão sair para uma festa e vão nos deixar aqui sozinhos!