quarta-feira, 8 de março de 2017

Pra Quê?

   Ok , existe em contrato social que diz como a gente pode se portar em determinadas situações.
  Eu entendo, mas é realmente necessário segui-lo ao pé da letra sem pensar?

 Porque sempre que alguém pede informação pra gente na rua, somos tão absurdamente prestativos,chegando as nos sentir mal se não sabemos onde fica tal rua?

  E onde decidiram que no trânsito e na internet podemos ser os mais babacas possíveis.
Já parou pra pensar que a pessoa gentil da calçada pode ser a mesma no carro do lado?
Pra que isso? A pessoa que te ultrapassou, pode apenas estar aprendendo a dirigir, voltando de um velório, indo ao hospital ou tendo um dia ruim.

   Um dos poucos objetivos que tenho no meu dia é não estragar o dia de ninguém. 
Sabe quando alguém te responde atravessado e acaba com o seu dia, faz você se sentir um bosta? Não quero ser essa pessoa, não sei como alguém aceita ser essa pessoa.
  Ah, às vezes a pessoa merece! É verdade, pode ser, mas provavelmente você não está apto para avaliar isso.
  Consegue lembrar de situações antiquíssimas que ainda dão nó na garganta de lembrar? Tenho tantas...
  Sabe uma sensação deliciosa? Quando tem alguém que desses de mal com a vida, querendo discutir com você e você reverte a situação? A pessoa percebe que não vai conseguir te fisgar e muda completamente? É tão melhor do que entrar na dela.

  A menina tinha 16 anos e começou a trabalhar com telemarketing, primeiro emprego, e chegava todo dia chorando em casa, por que todo mundo, ou quase todo mundo, a tratava assim, sabe como? Como você atende uma ligação indesejada?
  Sabe aquele telefonema chato de telemarketing? seja educado com a menina, mande um beijo pro moço que te xingou na rua, escreva com paciência pro revoltado da internet. Para de drama, tente comédia, romance ou aventuras! Tem dias que dá.