segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Os não-vaidosos

Os não-vaidosos. Seres superiores, são eles. Colocam boné na cabeça antes de casa e não olham para o espelho do elevador. Não há bad-hair day para um não-vaidoso. Eles desconhecem a aflição da espinha na ponta do nariz e a vergonha de uma bunda peluda.

Há quem diga que são mais felizes. O armário é cheio de possibilidades. Todas as roupas combinam entre si como uma paleta de cores para um daltônico. Para os calçados, basta acertar o número. Se é um tênis surrado, sapado caramelo ou papete, tanto faz, desde que seja tamanho 41.

Cientistas americanos tem estudado há um certo tempo esses mutantes. Indiferentes a qualquer manifestação fashion, caminham pela cidade se destacando pela simplicidade. Hoje, todo mundo é muito fashion, muito alternativo, muito descolado e pouco tranquilo. Os não-vaidosos ganham uma certa dose de estilo por isso.

Em tempos em que garotos roubam o lápis de olho da mãe, usam camisetas embaladas à vácuo e correm o risco de caírem por falta de mobilidade em suas calças skinny, os não-vaidosos circulam livres, soltos e com aquele sorriso que só a tranquilidade é capaz de dar uma pessoa. São belos. E bate até uma inveja...mas como chorar de raiva sem borrar a maquiagem?