terça-feira, 1 de dezembro de 2009

se ao menos eu estivesse com meu livro o tempo passaria mais rápido

desde o momento em que acordei, percebi que faria tudo errado. o próprio fato de acordar, talvez, teria sido o principal erro naquele domingo, 23 de agosto de 2009, 11h35, 19º com chuva e céu parcialmente nublado na região sudeste do país. e daí que chove? aqui em são paulo só chove. porque as pessoas reclamam tanto da chuva? do trânsito? da poluição? mudem-se daqui os que reclamam. mudem-se ou morram.

segunda. se ao menos eu estivesse com meu livro o tempo passaria mais rápido. já faz horas que acordei mas o relógio insiste em dizer que não, que ainda são 11h59. daqui a um minuto é meio-dia e meio-dia jogado fora, lógico. um otimista me diria, calma, você ainda tem a outra metade do dia pra fazer algo que seja útil. eu responderia por que você não pega a utilidade do meu dia e coloca n... "preencha a lacuna com seu oríficio preferido" (__________).

o último metrô. eu sempre pego o último metrô pois é lá que estão os que mentem. ah querida, fiquei até mais tarde no escritório, sabe como é... fechamento! (anrran...). oi mãe, é que fiquei estudando com a turma depois da aula, sabe como é... fuvest! (sei...). então amado, hoje é terça, dia de rodízio, então aproveitei pra dar uma passada na mamãe, sabe como é... idosa! (ahh tá...).

quarta quarta do mês. a última. sempre.

não é sempre que a gente encontra um ator de cinema na rua. será que ele topa tirar uma foto comigo? um autógrafo, um beijo, quem sabe? melhor não. é quinta-feira de manhã e um ator não gostaria de ser incomodado numa quinta de manhã. e outra: eu não acredito em atores. pra mim, eles estão sempre atuando, seja lá o que estão fazendo, mas estão sempre atuando. mas e nós, não?

a gente ama o que precisa, ama o que faz sentir bem, ama o que é conveniente. como pode dizer que ama uma pessoa quando há dez mil outras no mundo que você amaria mais se conhecesse? mas a gente nunca conhece. quem escreveu isso? chaplin, caetano veloso, janis joplin, bukowski? que importa? hoje é sexta e sexta não é dia de relativizar o amor.

eu nunca dei a mínima pra você e não devo pedir desculpas por isso. o máximo que posso fazer é agradecer pela tua ausência. não ter você por perto fez com que eu olhasse melhor pra mim. e só pra mim. agora - por favor - pega suas coisas e vá embora. deixe apenas o restinho da minha da tua hipocrisia que é pra eu usar de máscara no próximo baile. e corre pra pegar o trem porque amanhã já é domingo.

se ao menos eu estivesse com meu livro o tempo passaria mais rápido.
.
.
.