quarta-feira, 11 de agosto de 2010

?

Mas tudo q vc disser agora pode ser interpretado, por isso te peço, por ora, sem respostas. Deixe q eu fale por último. Vc já está na sua. Fique aí, tranquilo. Deixe q parta daqui a palavra final, q ñ venha a reverberar imediatamente. É só o q te peço. Guarde tudo o q combinar comigo. Imprima, ñ apague. Daqui a um tempo, me entregue. É o melhor q vc faz. O momento é de poucas palavras, mta reflexão, transpiração mesmo. Sono mal dormido, mente lotada, essa é a hora. Hora do qto menos vier de fora, melhor. Calma, nada de julgamentos de minha parte. Só compreensão, abertura de cabeça, felicidade incontida pelo outro, angústia incontida pelo peso do mundo q ora vem, ora vai... Do céu ao inferno em 10 segundos. Nada mal para alguém como eu, sempre estável. É hora, portanto, de ampliação, de novas vivências, de testar limites. Confuso, ñ? É assim q é. Mas relaxa, vc está tão dentro qto fora disso. Te quero feliz, e só. E, por favor, ñ jogue nada do q combina comigo fora. Um dia, mto em breve, vc vai poder me entregar tudo, sem q isso pese de alguma forma em mim. Até lá, deixe q venha daqui a indefinição final, a palavra incompreendida q sai por último e, inevitavelmente, abre um monte de portas, um mundo de interrogações.