sábado, 7 de agosto de 2010

Entre ser e estar

Estou morando na Escócia. Dando aulas de português para escoceses. Ok, nem todos são escoceses, mas isso, agora, nem importa.
O que eu queria falar é que meus alunos têm a maior dificuldade pra entender a diferença, tão óbvia para nós, entre o verbo ser e o estar. Pra eles é tudo verbo to be e dá no mesmo.
Pra mim, não dá. Ser triste é muito diferente de estar triste. Ser feliz é completamente diferente de estar feliz.
Por outro lado, acho que o verbo ser, muitas vezes, acaba sendo uma espécie de sentença. É com o verbo ser que a gente rotula as pessoas: "fulana é isso, ciclana é aquilo".
E, assim, com o mesmo verbo ser, a gente esquece o que é mais bonito no mundo, como disse Guimarães Rosa: o fato de que as pessoas não estão terminadas, elas afinam e desafinam, elas mudam. Elas estão, estavam, estarão...
Então, se fosse pra escolher um verbo só, eu ficaria com estar.
Estar ou não estar, eis a questão?