terça-feira, 2 de novembro de 2010

Dois textos em um: Gastronomia Fail + Dakota´s battle

Gastronomia Fail

- Além do galeto, vou querer o arroz maluco.

O garçom era muito atencioso e simpático. O local era limpo, bem decorado e bem arquiteturado. Galeto primoroso, no ponto certo, saboroso ao extremo. Na minha mente, pipocavam os seguintes pensamentos: “que delícia”, “porra, bom pra caralho”, “tomara que não chova, quero muito jogar futebol hoje”, “sempre em busca do novo do novo. Do novo”, “por que você cisma com esse conceito publicitário? É muito ruim, cara. Esquece essa merda”, “que tal misturar logo o galeto com a porra do arroz maluco?”.

(Evito ao máximo usar palavrões nos meus textos. Mas como eu tive que relatar os pensamentos que pipocavam na minha mente, que são sempre recheados de palavrões, eu não tive outra escolha.)

Então eu coloquei o arroz maluco no prato e senti um gostinho de indústria, inaceitável para um restaurante daquele nível. Examinei a travessa de arroz e vi que a batata palha era daquela que vem em saquinho, como se fosse Ruffles. Qual é a dificuldade em fazer uma porcaria de uma batata palha verdadeira, no óleo, crocante e saborosa? Me lembrei de um restaurante mexicano que teve a indecência de servir guacamole com Doritos. Pode ser que para muita gente o Doritos ou a batata palha industrializada não seja um problema muito grave. Mas para mim foi tão grave quanto se eu tivesse visto três ratos e uma barata transitando pela galeteria. A propósito, chama-se Galeteria Mormaço e fica no Jardim Botânico.

Então agora vocês já sabem. Podem ir sem susto, a comida é muito boa, só não me peçam o arroz maluco. Tem que ser muito maluco mesmo pra pedir aquele arroz.

Dakota´s battle

Hoje eu sonhei que a Dakota Fanning havia se mudado para a minha casa graças a um sensacional e totalmente impensável namoro do meu pai com a mãe da menina prodígio. Ela se tornou rapidamente a minha irmãzinha querida. Andávamos na Lagoa quase todos os dias, levei-a para conhecer as praias menos badaladas, assistimos os seus filmes preferidos e o meu inglês progredia numa velocidade extraordinária. Então, numa manhã de domingo, ela me deu um abraço apertado e disse que eu era o melhor irmão do mundo. Eu estava tão feliz que não conseguia dizer nada. Mantive os olhos fechados por um bom tempo, envolto no seu abraço apertado. Ao abrir os meus castanhos olhos sem graça e comuns para fitar os seus belos olhinhos azuis, eu vi um armário aberto, um aparelho de som e uma calça pendurada na parede.

Voltei a dormir e sonhei que o meu pai era morto por uma espécie de urso que pulou de uma árvore enorme enquanto passeávamos na sua fazenda. Foi uma cena bastante traumática. O urso era seis vezes maior que um urso convencional, mas ele lutou bravamente. A sua morte custou caro e ele não se desesperou em nenhum momento. Encarou o urso gigante de igual pra igual. Fiquei orgulhoso do meu pai. Não só pelo confronto com o urso, mas principalmente por ter namorado a mãe da Dakota Fanning.