quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Eu x Msn

O msn não me ama mais. Não me quer mais. E pior, é vingativo, além de não me querer, eu também não posso querer mais ninguém. Estou proibida de me comunicar com meus amigos, conhecidos, semi-conhecidos, todos. Nem minha prima lá de Londrina, uma conversa tão inofensiva. Nada.
Primeiro foi o marcelamane@hotmail.com. Tão antigo. Desde quando ainda se usava nick e o meu era Manezinha. Não, eu não era da Ilha. Na minha cabeça adolescente era uma manifestação contra os nicks de Lindinha, Anjinha e etc...Ai ai, tanta coisa importante no mundo e eu ali, contra os nicks meigos.
Mas bem, era sobre o msn que eu falava e o marcelamane não abria mais. Trocava a senha. Ok, tudo certo. Quando ia usar, pen, senha bloqueada. Como assim bloqueada? Acabei de trocar, tenho certeza que é essa! Mas estava bloqueada. E tentei, tentei, várias vezes. Nada. Procurei ajuda na central do msn, indecifrável. Fóruns, comunidades e até perguntas do yahoo, que geralmente tiram minhas dúvidas de como instalar o roteador até qual a melhor pomada para micose, mas nem elas me ajudaram.


Cansei e resolvi fazer um msn novo. Adeus marcelamane, você foi muito útil na minha vida, momentos memoráveis, mas agora é hora de partir para um endereço novo.
Resolvido o apego virtual, qual endereço utilizar? Foi muito dificil achar um nome. Eu queria uma coisa mais séria, que não deixasse tão exposto que eu sou besta, não tão assim de cara, quando eu fosse passar o endereço para alguém. Que descobrissem aos poucos. Fui tentando marcelapaiva, marcelaprado, marcelapradopaiva, tudo ocupado. Coloquei marcelaumbigo. Meio bobo ainda, mas ok. Por segurança deve ser até bom não colocar sobrenome, porque né, hoje em dia a pessoa coloca nosso nome no google e descobre tudo, até a cor da calcinha. Da sua mãe. Marcelaumbigo estava bom.
Adicionei algumas pessoas, tudo certo, tudo bonito. No outro dia, quando vou acessar, pen outra vez. Senha bloqueada outra vez. Soltei alguns palavrões. E olha que depois que voltei pra Minas nem falo muitos palavrões, hein? Mas poxa. O que eu estou fazendo de errado? Caralho.

Desisto. Não vou ter mais um MSN. Quem quiser falar comigo que me mande um e-mail, me ligue. Ou me mande um telegrama, uma carta de amor. *

(* “Ôôôôu, que eu vou até lá, eu vou. Eu vou até lá...”)