quinta-feira, 23 de junho de 2011

The end



Eu não sei se acredito em fim do mundo.

O que é real, irreal, imaginário ou não, quem pode saber?
Estamos vivos? Aqui é o purgatório? Estamos no céu? Vamos para o céu?
De onde viemos? Para onde vamos?
Se soubéssemos quando morreremos viveríamos diferente? Então não deveríamos vir com uma data de validade tatuada?
Gordura faz mal para o coração e bem para o cérebro. Como Deus não pensou nisso? Deus existe? É um homem, à nossa imagem e semelhança ou é uma energia, tal como nós?
O que nos difere dos animais e das plantas?
Os dinossauros existiram mesmo?
Sabemos tão pouco da terra, da nossa vida, e chegamos à lua. Ou não chegamos?
Existem outras formas de vida no mundo? Qual o tamanho do universo?

Como acreditar no fim de algo que não sabemos nem ao certo se existe?
Eu acredito que "na natureza nada se cria, tudo se transforma", e que tudo que vivemos é cíclico. Outras civilizações já passaram por aqui, de alguma forma, e outras virão. Todas se desenvolvem ao seu modo, e levaram e levarão para o túmulo suas descobertas e modos de vida.
Eu acredito nisso, mas não posso provar.

O que posso provar é que estamos todos indo para algum lugar. Que para morrer basta estar vivo.
E que esse é o melhor diálogo da constelação de pégasus:

“Hey, kiddo.”
“Dad?”
“Hello, Jack.”
“I don’t understand. You died.”
“Yeah. Yes I did.”
“Then how are you here right now?”
“How are you here?”
“I died, too.”
“It’s okay. It’s okay, son.”
“I love you, dad.”
“I love you too, son.”
“Are you real?”
“I sure hope so. Yeah, I'm real. You're real. Everything that ever happened to you is real. All those people in the church, they're all real, too."
"And they're all dead?"
"Some of them before you, some of them well after you."
"But why are they all here now?"
"Well, there is no now, here."
"Where are we, Dad?"
"Well this is a place that you all made together so that you could find one another. The most important part of your life was the time that you spent with these people. That's why all of them are here. Nobody does it alone, Jack. You needed all of them and they all needed you."
"For what?"
"To remember, and to let go."
"Kate, she said we were leaving."
"Not leaving, no. Moving on."
"Where are we going?"
"Let's go find out."

Não leaving. Nós moving on. Always.