sexta-feira, 24 de junho de 2011

O fim do fim


Parece que isso vai se tornar uma constante aqui, mas fiquei pensando no que escrever hoje. E não é de hoje que fiquei pensando no que escrever aqui. Aliás, se não me falha a memória, a ideia de todos nós falarmos sobre isso partiu de mim. Nós, "os 30" - isso não parece nome de um culto, de uma sociedade altamente secreta, que domina o destino do mundo?

Pois bem. Falemos sobre o mundo. Ou o fim dele. "O fim do mundo de acordo com Adriano, para o Adriano". Porque isso é um conceito muito pessoal e intransferível. É muito íntimo. Ora, a ideia do mundo acabar, explodir ou simplesmente deixar de ser é bem pouco inconveniente se pensarmos que isso significaria a total aniquilação de todos nós. Quero dizer, seria até bastante indolor se:
a) o mundo fosse explodido ou implodido por uma superbomba criada pela humanidade.
b) se uma raça alienígena disparasse uma arma contra a Terra, porque estamos no caminho da nova rodovia deles.

Isso tudo seria muito fácil. Claro, haveria alguns momentos de pânico, um eventual estresse aqui e ali, mas de modo geral tudo acabaria bem. Porque acabaria, afinal de contas. Alguns ainda diriam "te vejo na outra vida, irmão" e ok, mas não estou tão certo disso. Sobre reencarnação, não haveria muito para onde voltar também.

O sofrimento mesmo é ficar por aqui e ver pessoas importantes partindo. Morrendo. Se despedindo. Não se despedindo. Se afastando. Da forma como vocês quiserem colocar. E isso vale pra muitas coisas. Quando alguém próximo morre. Quando um amor deixa de ser. Quando um amigo se afasta. Quando você é despedido. E quando alguém não telefona também. Tudo isso são lutos pelos quais passamos e pelos quais, principalmente, precisamos passar para continuarmos. Não é fácil e não existem manuais, porque cada pessoa passa por isso do seu jeito. Há, sim, alguns pontos-chave a que todos obedecem, mas o cerne da questão é bem mais pessoal.

Por exemplo, o fim do mundo para mim agora é você estar lendo isso aqui em plena sexta-feira de feriado. Se estiver de folga, vá lá pra fora! E, se estiver no trabalho, termine logo suas coisas tudo pra poder começar seu final de semana.

Nos vemos no outro mês, irmãos!