quinta-feira, 16 de junho de 2011

Fins

O meu mundo acabou um bom número de vezes e nunca morri, bem, até agora não. Acabava toda vez que eu gostava de uma menina no colégio, aquilo virava uma loucura, não conhecia me expressar, falava coisas sem pé e cabeça, até que a rainha dos meus pensamentos, encontrava alguém mais prático e implodia de vez o meu mundo.
 
Aliás, a praticidade acaba com o mundo. Já pararam para pensar quantos mundos para as famílias orfãs de uma pai que enveredou pelo caminho da praticidade e sempre almoçou fast food?
 
O meu mundo acabou em 99 e 2000 nas mãos do Marcos, acabou nesse ano devido ao Tolima. E espero que em 2014, na abertura da Copa, ele não acabe.