terça-feira, 2 de agosto de 2011

Justiça ateísta

Aluguei um filme ruim. Até começou bem, mas do meio pro fim era um delírio completo. Sinédoque tem ótimos atores, produção impecável, mas o diretor Charlie Kaufman errou feio na mão. Em vez de duas colheres de açúcar na caipirinha, Charlie colocou sete e disse "pode tomar, está gostoso". Gostoso uma ova. Ficou horrível. Não quero mais. Tanto que nem vi até o fim. Dormi no sofá.

O meu sono foi tão profundo que quando eu acordei a locadora já havia fechado. Teria que pagar duas diárias por aquela maluquice. Mas tudo bem, acontece. Confesso que não tenho muita paciência para baixar filmes e seriados no pirate bay pra ver no computador. Às vezes eu faço isso, mas só às vezes. Vi toda a primeira temporada de Mad Men desse jeito. Mas ao começar a segunda, perdi a peciência com aquela rotina episódio 1, legenda 1, episódio 2, legenda 2, etc. Entrei numa Saraiva e comprei a segunda e a terceira temporada. Fiquei feliz com a compra. Na própria loja eu li que a série era inapropriada para menores de 16 anos e que continha cenas com drogas lícitas. Caiprinha, whysky, cerveja. Mas que coisa. Eu era um usuário de drogas lícitas.

Ao ver os filhos de Don Draper aparecendo frequentemente no início da segunda temporada, me lembrei da classificação de 16 anos. As crianças, que devem ter no máximo 8, podem assistir o trabalho que elas mesmas fizeram? É ou não é inapropriado? E o que dizer das cenas bizarras de adultério. O Don Draper trai a esposa no seu carro com uma periguete, chega em casa, lava as mãos (e a boca!) na pia da cozinha e vai falar com os filhos pequeninos. Pode isso, Arnaldo? Estes atores mirins, seus colegas de escola, também mirins, porém menos talentosos, não ficarão traumatizados com uma coisa dessas? E se não bastasse toda essa sacanagem ou puta falta de sacanagem, o DVD não vem com legendas em inglês, somente português e espanhol. É assim que os realizadores querem que as pessoas deixem de ver de graça na internet? Tinha que ter making of, legendas em alemão, russo, espanhol argentino, bastidores. Ok, não precisa disso tudo. Mas não ter as legendas em inglês é frustrante.

A primeira coisa que eu fiz naquele domingão de sol foi devolver o filme surrealista. A locadora fica bem perto da minha casa. No meio do caminho, andando distraído pela calçada, me deparo com um papel rosa. Estava dobrado. Me aproximei e vi que era uma nota de dez reais. Peguei a nota, olhei em volta, esperei mais uns dez segundos para ver se o dono não aparecia e segui em frente sem colocar a nota na carteira. Entrei na locadora e perguntei quanto ia custar as duas diárias.

- São 10 reais.

Depois de tudo que eu passei com aquele filme bizarro, pensei em justiça divina. Mas como eu não acredito em Deus, aquilo lá foi justiça ateísta mesmo.