sábado, 17 de setembro de 2011

Meu Papai é Noel


Acho que falo tanto no meu pai que algumas pessoas pensam até que não tenho mãe. Eu tenho sim e ela é fantástica. Mas, convenhamos, disputar o cargo de progenitor mais referenciado com o Papai Noel não é mole não. Por isso, minha mãe vive um pouco no anonimato e eu sou Tatiana, mais conhecida como a filha do Papai Noel do Brasil.

Meu pai estudou pouco, mas sabe muito. Não fez faculdade de Marketing e nem deve saber o que significa ‘case’, mas meu pai é um puta case de Marketing Pessoal. Há 12 anos, trabalha como Papai Noel. Sem ONG, sem equipe, sem patrocínio. Sem grana. Esse é seu trabalho, o ano todo. E, por se tratar do meu pai, essa não é a única informação incomum a seu respeito. Ele não é Papai Noel de shopping, que faz bicos para ganhar uma graninha. Meu pai encarna o personagem e quando ele faz HOHOHO, você acredita mesmo que São Nicolau existiu.

Ele descolore a barba, cabelo e sobrancelhas, deixa tudo branquinho, não sem antes assinar um termo de compromisso na cabelereira responsabilizando-se por qualquer problema. Leia-se morte. Ele quase já morreu por intoxicação durante a descoloração. No primeiro ano como Papai Noel, ele pediu um CEP próprio aos Correios. E ganhou. É só escrever 89990-960 no envelope que as cartas (milhares) chegam a minha casa. Até da Rússia.

Eu já respondi bem umas 300 mil cartas. Ao todo, desde 2000, ele recebeu 1 milhão delas, todas respondidas. E tem mais. Ele tem registro nas Marcas e Patentes como Papai Noel do Brasil. A primeira vez que ele fez o pedido, um cara disse: isso é domínio público, é como alguém tentar se registrar como Jesus Cristo do Brasil. Meu pai conseguiu.

Todo ano ele quer que seja diferente. Todo ano ele tem uma ideia nova. Todo ano eu acabo me envolvendo. Há um tempo ele está profundamente ligado a causas ambientais. Em parceria com uma universidade, ele distribui sementes de árvores nativas a crianças nas escolas. O objetivo é chegar a 1 milhão. Depois de criar uma história para sua revista em quadrinhos (sim, ele tem uma), em que o personagem Papai Noel decidiu entrar em uma gaiola protestando contra o aprisionamento e tráfico de animais silvestres, ele decidiu colocar a ideia em prática. Em um dia inteiro na gaiola, ele apareceu, apareceu, apareceu, apareceu.

Um dia eu pensei que não era justo essas histórias não serem espalhadas. Então, ele começou a palestrar em TEDs. Primeiro foi o TEDxPortoAlegre. Depois, o TEDxCuritiba. Agora, ele quer ir para o TEDxESPM, em São Paulo. Ele enviou um vídeo com uma ideia que merece ser compartilhada. E você acha que ele não conseguiu ter MAIS uma ideia? Pois sim, ele tem. Pedir que cada criança escreva o que poderia ser melhor em suas cidades. O Papai Noel vai transformar isso em uma sugestão de políticas públicas aos governantes. A ideia dele foi selecionada. Será palestrante quem tiver mais votos. Você duvida que ele vai ganhar?

Para ajudar, acesse http://www.espm.br/redes/tedx/facebook/canvas/speakerx/speaker-x-elio.aspx e Clique em ‘Like’. O Papai Noel agradece.