segunda-feira, 3 de setembro de 2012

No dia que eu fiz 30 anos


No fim do dia que eu fiz trinta anos eu resolvi que escreveria um texto sobre esse meu trigésimo aniversário. Queria falar sobre ter sido um dia como outro qualquer, um dia que eu tomei café correndo,limpei xixi de cachorro, sai de casa sem pentear o cabelo e almocei marmita. Um dia que não teve nada demais, como na música do Caetano, e que era bobagem esperar algo de diferente só porque você ficou mais velho.

O problema é comecei a escrever e a achar que eu estava sendo um tanto quanto injusta sobre o andamento do meu dia de aniversário. Ele tido sido mais do que nada demais.  Minha mãe acordou cedo para me dar parabéns, meu pai e meu irmão estavam aqui também. No trabalho todos me deram parabéns e senti sinceridade em todos eles. Ganhei uma paçoquinha, um pé de moça, um pedaço de bolo, uma caixa de bombom e um perfume. E os conheço há tão pouco tempo .

Mais tarde teve uma comemoração na minha casa. Claro que eu queria que tivesse um monte de gente, que meus amigos estivessem além de uma fria mensagem de facebook,  mas estava o pessoal lá de casa, minha avó, meu avô, e foi legal, a comida estava boa, minha irmã que fez,  e o bolo estava gostoso também.  Fora que eu estava sem namorar há um mês, mas achei estranho comemorar meu aniversário sem ele na mesa, então telefonei  na última hora e ele foi. Eu não sabia se tinha sido uma boa ideia minha, mas fiquei feliz por ele estar ali do meu lado mais uma vez e por perceber que ele estava feliz também. 

São coisas que eu não daria valor aos 15, aos 20, aos 25, um rosto, um gesto, por isso que acho que foi importante sim fazer 30 e por isso precisei trocar de música. 

http://youtu.be/O2P1khIyTX8