quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Love me, Tender

Fiquei comovida quando soube que os porcos são fisicamente incapazes de olhar para o céu.
Pois isso quer dizer que eles nunca se perguntaram o motivo do céu ser azul. Se os porcos tivessem a oportunidade de admirar o infinito e fossem capazes de questionar acerca da sua cor, ainda assim estariam impossibilitados de cruzar as suas patas para organizar melhor seus pensamentos. Não sei se você sabe, mas foi cientificamente comprovado que cruzar os braços ajuda a pensar melhor. Impossibilitados de contemplar o céu e inaptos a cruzar as patas para organizar ideias, os pobres suínos jamais ficarão em dúvida se a cor do céu é azul devido à melhor difusão das ondas curtas de luz pela atmosfera ou se é porque deus era menino.
Senti muita pena dos porquinhos por eles não poderem ver o céu. Ainda mais quando li que estudiosos descobriram que a cor azul é capaz de nos deixar mais felizes.
Elvis Presley tinha olhos azuis. Talvez por isso tenha feito tanta gente contente. Muitos não sabem, mas Elvis era naturalmente loiro e trabalhou como coveiro antes da fama. Deve ser por isso que quando alguém morre, dizem que ‘o fulano foi ver o Elvis’. Tem gente que acredita que Elvis não morreu. Outros garantem que ele morreu, sim, de overdose, horas depois de saborear quatro bolas de sorvete com seis cookies de chocolate. 
Eu não sei em qual das duas versões acredito. Mas se eu pudesse escolher, minha última refeição também seria sorvete. Daqueles sorvetes bem azuis, ainda, como tributo aos olhos malemolentes de Elvis e aos pobres suínos que não podem admirar o firmamento nenhuma vez antes de se transformarem no Tender da ceia de natal.