sexta-feira, 16 de novembro de 2012

15

"Um dia, todos terão direito a 15 minutos de fama"  Andy Warhol

Logo quando fiz 15 anos adorava ir em festas de formatura, acredito que foi uma substituição precoce de nunca ter sido convidado para uma festa de 15 anos. Logo se vê, nunca fui popular. O tempo passou, as mágoas da adolescência e início da vida adulta se curaram e elegi como minha festa preferida casamento. 

Nos últimos 2 anos fui a 15 casamentos, sendo que em 2 fui padrinho. Hoje assistindo a maratona de Walking Dead em casa e ao acessar o Facebook vi milhares de fotos do casamento da minha prima, sim, esse não fui convidado e acredito que na minha família continuo pouco popular, tive uma epifania: esse eventos são a tentativa dos 15 minutos de fama.

Pense bem: o tempo passa, logo você se dá conta que a formatura não garantirá que você terá o emprego dos sonhos, muito pelo contrário, talvez somente garantirá um emprego. Você não será um ator de sucesso, guitarrista de uma banda famosa, um escrito ou mesmo um webstar e nem fará fortuna com uma empresa de tecnologia.

Azar no jogo, sorte no amor...nem tanto assim. Com os hormônios em alta, você terá suas aventuras, se relacionará com algumas, virá o amor e você começa a pensar em casamento...A mulher pira com todos os preparativos, pq no fundo ela sabe que será a última faísca, os um pouco mais de 15 minutos de fama, de uma luz que se apagará entre montanhas de carnês, financiamento com Caixa, serviços do lar e choros de criança. Sem contar a conturbada relação que terá com o marido, pois o casamento é soma de esquisitices, manias, medos e a sobrevivência com uma grande porção de aceitação mútua.

O pior é quando essa última faísca vem com a música do Rei Leão, retrospectiva adornada com imagens do Shrek, cerveja quente sem vergonha e whiskey paraguaio. Cuidem bem das suas últimas faíscas e por favor, me convidem, eu irei com todo prazer.