sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Uma vida sendo refeita...

06h00 e eu acordado. Café da manhã. Caminhada na praia. Banho de mar. Volto para casa. Tomo uma ducha. Estou pronto para trabalhar. De frente para o computador checo meus e-mails: 10 e-mails do chefe; 8 e-mails dos clientes; 1 conta para pagar; 2 correntes de e-mails que se você não fizer acontecerá a Terceira Guerra Mundial; 0 e-mail seu! Aiiiiiiii! Que droga! Ora @#$@#$! Isso é o que mais me dói. Eu tão decidido, independente, bem resolvido, com amigos, trabalho, uma vida legal e me pego esperando uma ligação sua. Eu me pego preso, dependente de você. Nessas horas descubro que celular é algo do demônio. Só pode. Porque você fica de minuto a minuto, olhando, na intenção de encontrar um sms seu, uma ligação. E o susto quando aquele som de mensagem chega? E quando você vê, não passa de mais uma propaganda da sua operadora de celular. Aiiiiii! Preciso me libertar disso, preciso me libertar de você. Não! Na verdade, eu preciso me libertar de mim primeiro. Isso! Eu preciso voltar a ser eu mesmo e não ficar aqui esperando você voltar. Mas confesso que tudo isso dói. Pois os melhores momentos da minha vida eu passei ao seu lado, passei nos seus braços, passei sob os seus cuidados...Calma! Foco, foco, foco. Lembre-se dos dois sites que você precisa entregar até segunda-feira. Lembre-se que sua carreira de webdesigner está crescendo agora. Lembre-se de que amanhã é sábado e você não vai sair com ele. Ei!!! Isso aqui era para me fazer bem ou mal? Aiiii. Lembrei de que não vou sair com você?? Na verdade, você é quem não vai sair comigo. Porque, agora, 10h da manhã, eu decidi que vou sair hoje, amanhã, depois e depois comigo e com meus melhores sonhos. Você? Sim, até está neles, mas não como protagonista, mas como figurante de uma parte da história. Já descobri em que esquina me perdi de mim mesmo. Foi na esquina da autoestima. Quando vivi sua vida em detrimento da minha... Um gole de café. Um site para fazer. Uma carta virada. Uma página passada. Uma vida sendo refeita com dores e sonhos. Esse sou eu nessa manhã!