quinta-feira, 25 de abril de 2013

"Os homens não sabem romper. As mulheres preferem que a ruptura seja clara" - disse Dorine em Carta a D.

A frase foi dita há cerca de 60 anos e eu continuo pensando o quanto ela é atual.
Desculpem-me meninos, mas este é um post de um (entre muitos) desabafo contínuo dentro do nosso infinito universo feminino.

Esta semana, li a coluna do Xico Sá que fala sobre a epidemia do homem frouxo. Tenho a nítida sensação que nós mulheres, adoraríamos abraçar o Xico Sá e dizer: Obrigada! 

Vocês, homens, podem achar que temos o medo, o receio, o temor de recebermos um belo e sonoro "Não" quando não somos aquela que lhe interessa. Meus caros, não temos medo do "Não". Tá, temos um pouquinho, mas as mulheres sentam, choram e superam. Passamos a imagem de super frágil a ponto de não recebermos qualquer resposta? O que nos deixa emputecidas é o famoso "não caga e não sai da moita". 

As mulheres deixaram de lado a passividade com o passar dos anos e estão assumindo mais suas vontades e desejos. Hoje, conseguimos bancar a frase: "Sim, eu estou afim de ficar contigo e você?". Isso os assusta?
Eu entendo que temos nossa parcela de responsabilidade quando permitimos a prorrogação da situação, mas confiamos que nossa honestidade será recíproca. 

Então, meninos, moços, homens e senhores, pelo sim ou pelo não, uma das milhares de coisas que queremos é que deixem a moita.