quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Sou mais o PINKY do que CÉREBRO

Ficou muito estranho na época, e mais ainda agora se você lembrar que o tio Obama já ganhou um Nobel pelos esforços diplomáticos internacionais e cooperação entre povos.


Por isso espero muito mais a lista do Prêmio IgNobel essa pelo menos sempre foi justa.
Criado em 1991 por uma revista de humor científico Annals of Improbable Research (sim, por mais estranho que pareça isso existe) o prêmio é entregue em uma cerimônia em Harvard onde o nerd afetado da vez recebe das mãos de um verdadeiro laureado com o Prêmio Nobel o reconhecimento pelo empenho de meses ou até anos para se chegar a conclusões brilhantes como:
 
- Ouvir música de elevador estimula o a produção de anticorpos pelo sistema imunológico e assim pode ajudar a prevenir o resfriado comum (IgNobel de Medicina de 1997).
 
- As pessoas encontram sempre modo de adiar a sua morte se isso lhes trouxer benefícios fiscais a nível do imposto sucessório (IgNobel de Economia de 2001).
 
- IgNobel da Paz de 2001 (um dos melhores) Este foi dadoao Daisuke Inoue de Hyogo Prefecture por inventar o karaoke, através disso oferecendo uma maneira inteiramente nova de as pessoas aprenderem a tolerar umas às outras.
 
E os felizardos de 2013 são:
 
Medicina: Masateru Uchiyama, Xiangyuan Jin, Qi Zhang, Toshihito Hirai, Atsushi Amano, Hisashi Bashuda e Masanori Niimi, pela avaliação do efeito de ouvir ópera, em ratos submetidos a transplante de coração.
 
Psicologia: Laurent Bègue, Brad Bushman, Oulmann Zerhouni, Baptiste Subra e Medhi Ourabah, por confirmar, com experimentos, que bêbados se acham atraentes.
 
Biologia & Astronomia: Marie Dacke, Emily Baird, Marcus Byrne, Clarke Scholtz e Eric J. Warrant, por descobrir que, quando os escaravelhos se perdem, eles encontram o caminho de casa observando a Via Láctea.
 
Engenharia de Segurança: Gustano Pizzo, por inventar um sistema eletro-mecânico para prender sequestradores de avião. O sistema derruba o sequestrador em um alçapão, empacota-o e em seguida, o joga empacotado em um compartimento especialmente instalado no avião, lançando-o de pára-quedas para a terra, onde a polícia, alertada por rádio, aguarda a sua chegada.
 
Física: Alberto Minetti, Yuri Ivanenko, Germana Cappellini, Nadia Dominici e Francesco Lacquaniti, pela descoberta que algumas pessoas conseguiriam correr pela superfície de um lago, se essas pessoas e o lago estivessem na Lua.
 
Química: Shinsuke Imai, Nobuaki Tsuge, Muneaki Tomotake, Yoshiaki Nagatome, Toshiyuki Nagata e Hidehiko Kumgai, pela descoberta que o processo bioquímico pelo qual as cebolas fazem as pessoas chorarem é ainda mais complexo do que os cientistas descobriram anteriormente.
 
Arqueologia: Brian Crandall e Peter Stahl, pela parboilização de um musaranho morto, e, em seguida, o engolir sem mastigar e depois examinar cuidadosamente os excrementos durante os dias seguintes. Tudo para saber se os ossos se dissolveriam dentro do sistema digestivo humano, o que de fato, não aconteceu.
 
Paz: Alexander Lukashenko, presidente de Belarus, por tornar ilegal aplaudir em público, e pela Polícia de Belarus, pela prisão de um homem de um braço só, por aplaudir.
 
Probabilidade (matemática): Bert Tolkamp, Marie Haskell, Fritha Langford, David Roberts e Colin Morgan, por duas descobertas relacionadas: a primeira é que, quanto mais tempo uma vaca permanecer deitada, é mais provável que ela se levante com mais rapidez e a segunda é que, uma vez que a vaca se levante, não se pode prever com que rapidez a vaca vai se deitar novamente.
 
Saúde pública: Kasian Bhanganada, Tu Chayavatana, Chumporn Pongnumkul, Anunt Tonmukayakul, Piyasakol Sakolsatayadorn, Krit Komaratal e Henry Wilde, pelas técnicas médicas descritas no relatório "Gestão cirúrgica de uma epidemia de amputações penianas em Sião", técnicas que eles recomendam, exceto nos casos em que o pênis amputado tinha sido parcialmente comido por um pato.
 
Mongoloid he was a mongoloid
Happier than you and me
Mongoloid he was a mongoloid
And it determined what he could see


Abs
Jeff