sexta-feira, 1 de agosto de 2014

ex bom é ex vivo(a)

teoricamente já é dia 2, mas como ainda não dormi ainda é dia 1, ou seja, meu dia, portanto segue aí meu post.

muita gente diz que ex bom é ex morto, mas discordo. ex bom é ex que, mesmo quando não vira best friend, a gente pode encontrar e dizer pelo menos oi. é ex que quando a gente se encontra, mesmo com o boy novo a gente dá beijinho no rosto e abraço e diz "bom te ver". é ex que, quando a gente ouve uma novidade boa sobre ele, sorri contente, independentemente de como foi o término. ex bom é ex que a gente não quer ter perto, mas quer saber que está bem.

nos últimos 5 meses encontrei 3 exes. os 3 com que mantive maior intimidade e tempo juntos. o ex 1 encontrei no rio de janeiro, quando peguei uma rua errada para ir à uma festa. ficamos no dia seguinte e foi ótimo. o ex 2 encontrei numa festa quando eu estava com o ex 4 e ele (o ex 2) foi bem antipático, como lhe é de costume. o ex 3 encontrei hoje, ontem e antes de ontem, na flip, em paraty, com o atual dele (acho). o ex 4 não encontro faz tempo, mas adoro, nos falamos quase que diariamente. e o ex 5, bom, o ex 5 digamos que tem outra relação (séria) e só me contou meses depois, quando eu estava quase me entregando por completo. do atual não vamos falar, pois o assunto hoje é ex (mais precisamente o ex 3) e espero que, se virar ex (o atual), que seja daqui a uns 70 anos.

há uma história envolvendo o ex 3 e o ex 4 que não consigo entender, muito menos explicar, portanto - resumindo - preciso dizer que o atual do ex 3 é ex do ex 4. e eu sou ex do ex 3 e do ex 4 e o ex 4 é ex do atual do ex 3. enfim, tudo isso pra dizer que encontrei ex 3, depois de uma última vez não tão boa e foi incrível. 

nada de papo sério, apenas amenidades. apenas assuntos do cotidiano, arte, literatura, trabalho, como tem de ser papo com ex quando não se quer discutir erros do passado, nem relembrar bons momentos. talvez porque ainda não seja hora, talvez porque seja só isso mesmo, talvez porque não há nada que se falar, além de amenidades. 

claro que há uma curiosidade em saber como está, o que está fazendo, o que está comendo, o que está vendo, ouvindo, mas não quando se encontra de repente e inesperadamente e com o atual. de qualquer forma é bom saber que o atual do ex parece ser legal, fofo e bonitinho, com o qual também houve uma conversa de amenidades. no inconsciente uma vontade de chegar e falar vem aqui amigo, deixa eu te dar umas dicas, mas o bom senso disse cala a boca. claro que passaram mil cenas pela cabeça, uma coisa boba de pensar como dormem, o que fazem na cama, o que conversam no chuveiro num dia frio. mas aí vem o bom senso de novo e fala cala a boca.

mas o bom, o bom mesmo, é que depois de tanto tempo, quase um ano pós-término, não haja nada pra discutir. é perceber que o que ficou é isso mesmo, o desejo de que estejam todos bem e a saudade da gata, nada mais. e poder encontrar na rua, dar um abraço e se despedir depois de 5 minutos de conversa boba.

e o melhor é ter a plena certeza de que tudo isso é verdadeiro.