segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Não estou sentada na varanda

De vez em quando acontecem umas conversas malucas que nem eu sei dizer da onde elas saem, como essa que tive com uma amiga que chegou toda feliz e me disse:

-Sabe fulano?

Sei.

-Então, já pensou namorar ele?

Não.

-Ah, mas devia! Ele é ótimo, vocês são bons amigos, ele sempre te dá apoio e desconfio que ele está meio ''gamado''.

É, digamos que já percebi, ou pelo menos desconfio. Mas o ponto é o seguinte, gosto muito dele, tenho até saudades se fico muito tempo sem falar com ele, mas por que iria além disso? Não sinto atração por ele, não rola química e existem algumas diferenças na maneira de ver a vida que neste momento não tenho saco para discutir.

-Como assim não rola química? Você já ficou com ele?

Não. E não preciso, posso apostar, não rola química. Não sei como funciona para o resto do mundo, mas no meu caso a química começa no olhar e na atração, se não gosto como ele é, não tem química.

-Pra mim você tá errada! O que custa tentar?

Nossa, nessa altura do campeonato custa muito, meu tempo, minha energia e outra amizade perdida.

-E vai fazer o quê? Ficar sentada na varanda esperando alguém ''incrível e especial''?

Não tenho varanda! Mas não estou sentada nem esperando ninguém, não é questão de esperar o príncipe, mas de não gastar energia à toa. Poxa, por que tenho que obrigatoriamente namorar alguém?

-Porque a vida é isso, conhecer, namorar, ficar....

Esse é um ponto que me fez sofrer demais. Não sou igual a todo mundo, nem eu sei o porquê e hoje consigo assumir tranquilamente minha maneira de viver, se para algumas pessoas o legar é namorar, não importa se gostam ou não da pessoa, sorte delas, eu não vivo assim, nem quero. Não tenho nada contra namorar, mas tenho tudo contra namorar só para passar o tempo.

-E vai conhecer alguém legal como?

Mas eu conheço muita gente legal! O dia que gostar de alguém de um jeito mais intenso vou lá e namoro!

-Você só complica! Acho que fulano está apaixonado, podia ser legal e você fica embaçando!

Mas é legal! É meu amigo, a gente costuma sair, mas é só amizade e está ótimo assim.

-Acho estranho!

Não, estranhas foram as vezes que me machuquei, me envolvendo com homens que não valiam a pena, eu acreditava nessa baboseira de ''é namorando que se conhece'' e muitas vezes namorei sem estar apaixonada. Minha energia ia pelo ralo, meu tempo não valia nada. Por isso decidi aceitar minha natureza, dói menos, não gosto de nada à toa, sem sentido. Se vou namorar com alguém é porque gosto da pessoa e tenho interesse, caso contrário prefiro ficar em casa assistindo novela.

-Pelo menos tenta!

Não, obrigado. Já passei da idade onde a gente ''tenta'', lá pela casa dos vinte. Depois dos trinta nossa margem de acerto começa a melhorar e não precisamos mais tentar tanto. Sei como eu sou, depois de anos sem ter menor noção disso. E esses namoros rápidos, experimentais, nunca me seduziram, sempre gostei de emoções mais intensas, prefiro não sentir nada do que sentir  ''morno''.

-Aff! Você devia desencanar e começar a mudar de ideia sobre os relacionamentos, não precisa levar tudo a ferro e fogo, de vez em quando é bom apenas brincar pela vida.

Mas não é? Concordo, mas eu fiz o contrário, levei os relacionamentos a ferro e fogo a vida inteira, até que cansei e agora quero brincar pela vida. Mas minha ''brincada'' inclui o mais importante, que eu aceite meu jeito de ser e não gosto de namoros onde não entro na história apaixonada, me dá sono. Cada um é de um jeito! O meu é esse, não quero mais gastar um segundo da minha vida beijando quem não mexe com minha alma, cansei disso.

- Eu só avisei! Fulano tá lá!

É, eu estou cá. E assim somos todos felizes, cada um levando a vida do jeito que quer, eu levo do meu e isso significa namorar alguém quando essa pessoa me desperta alguma coisa, poxa, por que é tão difícil aceitar as diferenças e a maneira do outro viver? Não estou ferindo ninguém com minhas escolhas. Nem tudo é para todos e nem todos são para tudo. Quem quiser esquentar sua solidão em diferentes camas que o faça, eu prefiro o silêncio, aquele que me garante que a coisa mais importante na vida é respeitar minha natureza.

Iara De Dupont