sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Eu ainda não sei, ano novo!

Dessa vez não me perguntaram "Cadê o namorado?", nem questionaram o que acontece para "continuar solteira", muito menos lembraram de fazer piadinha sobre o "fato de não comer carne". Fizeram algo mais cruel. Jogaram no alto a questão "O que você deseja para o Ano Novo?"

Imediatamente, respondi: "Não sei!". Aquilo soou como se tivesse ofendido alguém. "Como você não sabe?", "Por que você não sabe?", "O que está acontecendo contigo? Posso te ajudar?", "Você está depressiva?".

Senti uma pressão que não sentia há anos de precisar ter uma resposta genérica e rápida como "muita saúde", "muito trabalho", "muito amor". Simplesmente para validar uma pergunta que teve a minha resposta invalidada. 

Em tempos de "pergunte ao Google, ele sabe tudo", deixar de saber uma resposta parece um ato surpreso.
E eu continuo sem saber o que desejar para o meu ano novo e se eu preciso desejar algo a ele ou se preciso esperá-lo chegar para sentir um desejo além ou ainda....ah, não sei!

E você? Algum desejo para o próximo ano?