terça-feira, 18 de outubro de 2016

Nos Deram Espelhos



Procuro sempre ter esperança, dar tempo ao tempo, dar uma chance até pro que não concordo, chamo isso de democracia pessoal e sem poder. Dei duas, três, inúmeras chances... num momento até de muita boa vontade cheguei a pensar "talvez estas pessoas estão vendo tudo por um ângulo que não consegui ver ainda, pois elas estão convictas". 

Engano meu, estas pessoas não estão convictas, estão com ódio e o ódio cega, assim elas não têm pontos de vista e nem ângulos diferentes, não tem ideias que pensem num bem comum e no macro, apenas tem a sede de segregar e destruir, por pirraça até, o que outros conseguiram e conquistaram e depois, festejar na cara destes como se fosse um gol numa final contra um rival.
O ódio faz pensar com o umbigo, não com a cabeça, o dialogo fica impossível.

O ódio contaminou, a intolerância infectou, a raiva se espalhou e não deu tempo de vacinar, tomou proporções federais, estaduais e municipais. Está bem próximo, mais do que se pode imaginar.

Os rostos mais vistos em papeis que sujaram as ruas, foram dos que diziam "vamos limpar toda essa sujeira".
E que sujeira? Apenas olhem o reflexo: 

"Nos deram espelhos e vimos um mundo doente".