sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Entre a euforia e o remanso
ele fez sua escolha
e eu sofro, morro
me desfaço
viro pó

Ele me consome
tudo que eu era, some
tudo que resta é a memória
que também sumirá

O tempo nada perdoa
nem a si mesmo.