segunda-feira, 15 de junho de 2009

Vezdavoz

I


som


na

margem

do sentido:


a

vida


por

dentro

do grito.



II


todo

começo

é meio


todo

fim

é meio


todo

meio

é voz:


soa

por si.



III


dos

restos

de silêncios


sobra

sempre


uma

vaga

certeza


de que

tudo


nunca

foi dito.



IV


partitura

da fala


não

se resume

à letra.


saber

ouvir

o escrito


fazer

cantar

o sentido


querer

dizer

o não-dito.



V


palavras

ecos

e nadas...


pranto:


silêncio

em pó


na página

em branco.



VI


o som

da sina


sobrevoa


os signos

silenciosos.


sentencia

a sorte


de todos

nós:


a voz

da palavra

viva


a vez

da palavra

voz.