quarta-feira, 22 de julho de 2009

De frente pra trás.

Hoje começa o ANIMA MUNDI 2009, no mesmo local. A partir de agora até domingo serão cinco dias que eu pretendo encontrá-lo novamente. Quem sabe dessa vez ele não sorri de volta...

Foram poucos os segundos em que nossos olhos se encontraram, mas pra mim foi um momento eterno por encontrar aquele velho amigo. Eu sorri e ele não sorriu de volta. Ele não se lembrou de mim.

Lembro que eu estava caminhando pelo Memorial da América Latina com meu melhor amigo. Ele estava na fila para comprar ingresso e assistir uma das tantas sessões do ANIMA MUNDI e eu estava entrando em uma sessão diferente.

Foi ano passado que eu o encontrei. Pra mim ele continua igualzinho. Talvez um pouco mais alto, mas com a mesma carinha de nerd, as mesmas roupas e os mesmos óculos.

Quando terminou o cursinho nós nos distanciamos. Esquecemos de trocar orkut, MSN, telefone ou qualquer outro meio que pudéssemos manter contato. Ele foi viver a vida dele e eu a minha.

Nós ficamos amigos quando descobrimos que tínhamos algo em comum: o gosto pela animação. Tudo bem que eu preferia assistir e criticar e ele fazer e criar, mas foi nosso ponto em comum durante aqueles seis meses de correria e estudos.

O conheci logo no primeiro dia de aula do cursinho. Ele era o típico nerd de filme do SBT. Era alto, usava roupas e óculos relaxados e não ligava a mínima para os murmurinhos que faziam sobre ele. Eu o admirava bastante, afinal ele era muito inteligente e fazia desenhos incríveis. Seu objetivo era cursar a Belas Artes.

Isso foi há três anos, junto do colégio, quando comecei a fazer cursinho pré-vestibular. Era uma correria só: de manhã a escola e de tarde o cursinho. Lembro que eu saía de casa às 6h30 e voltava perto das 22h ou 23h. Era o dia inteiro estudando e ele foi minha salvação na época.