terça-feira, 21 de julho de 2009

Do latim, humilitas

Diversidade é bom. Muito bom. Esse monte de gente diferente, cada qual com seus defeitos e qualidades... E não adianta dizer que não, todo mundo tem pelo menos uma qualidade. Todo mundo é bom em pelo menos alguma coisa e acho que não admitir isso é deveras irritante.

Um exemplo? Imaginem aquela moça bonita. Corpo escultural, rostinho de anjo, voz de cantora de MPB das antigas. Ela sabe que é naturalmente linda. Ainda assim, se arruma pra sair e o produto final é digno de festa do Oscar ou capa da Vogue. Quando chega na balada, os amigos dizem "nossa, como você está linda!" e ela, com toda a falsa modéstia politicamente correta do mundo responde "são seus olhos", ou, então, começa a encontrar defeitos em si. Coisas do tipo "mas meu cabelo tá cheio de frizz e estou barriguda nesse vestido", quando, em sua mente, está pensando "diga algo que eu ainda não saiba, meu bem".

Até acredito que tenha gente cuja auto-estima se encontre logo abaixo do tapete do banheiro, mas a verdade é que casos como esses são raros de se encontrar. Geralmente, uma mulher sabe quando está zuada e quando está arrasando. Sabe qual calça realça sua região glútea, qual blusinha favorece seus seios ou barriga, qual penteado lhe proporciona o melhor ângulo e por aí vai. Então, quando uma fulana, nitidamente produzida, recebe elogios com um "não precisa mentir pra se enturmar" ao invés de um simples "obrigada", saiba que ela está sendo falsamente modesta.

Sinceramente acho que não há nada de errado em assumir-se. Não que precise esnobar, mas se diminuir também não ajuda em nada. Pelo contrário, apenas serve para depreciar os menos favorecidos pela natureza que você. Isso vale para todos os quesitos da existência. Algumas pessoas são mais engraçadas que as outras, algumas mais inteligentes, outras mais malandras e blábláblá. Alguns têm o dom da escrita, outros da retórica, e fingir que não só para aparentar humildade não faz sentido algum. Também porque, se for atrás da definição literal do termo, vai notar que ele também pode ser lido como mediocridade, coisa que, no fundo, ninguém quer ter associada a si, certo? Enfim... ainda usando o dicionário como base [pra não dizerem que estou inventando coisas] humildade não é fingir que não sabe ou que não é, é saber pedir ajuda quando julgar necessário, agradecer com sinceridade o apoio recebido e, principalmente, saber reconhecer os próprios erros. E lembre-se: somos apenas reflexos dos paradigmas uns dos outros.


bjsmecontesta.