quinta-feira, 16 de julho de 2009

Embriagado

Talvez nascemos para provar um pouco de momentos especiais.

Naquele futebol despretensioso uma bela jogada. Escrever um texto que lhe encha de orgulho. Realizar um trabalho digno de elogios. O doce primeiro beijo conquistado de uma paixão nascente.

São momentos memoráveis. Estes, que por algum momento, me tornou a pessoa mais feliz do mundo. Sim, foi especial. Uma certeza que é pura intuição e que marcará para sempre a memória. Independente do que aconteça.

Queria ter a possibilidade engarrafar tudo isso.

Nâo se trata de saudosismo: céticos de plantão.

Não quero me privar de novos momentos especiais, apenas gostaria de ter certeza que senti. Duvido. Em alguns momentos que fui capaz disso. Não é raro, sentir-me amordaçado pela cascata de automatismo que se apodera do meu cotidiano, que obscurece tudo, que deixa tudo sem gosto. Que me faz duvidar de mim e daquilo que sou capaz.

Para esses momentos eu abriria a garrafa e me embriagaria com as sensações desses momentos.