quinta-feira, 2 de julho de 2009

Mensagem de consolo

Sem inspiração sobre o que escrever nesse fatídico dia 02, optei por vir caminhando ao trabalho. Afinal, eu demoro uns 40 minutos a pé e de metrô quase 30, isso porque eu tenho de fazer interligação em duas linhas – verde-azul-vermelha – e o pessoal é meio bruto perto das 8h da manhã. Acordei mais tarde do que pretendia e sai sem tomar café da manhã. Descendo a Av. Angélica - é basicamente nisso que consiste o percurso - começam a cair uns pingos, tudo bem, é suportável. Seis minutos depois a chuva aperta, muito, continuo caminhando confiante de que será por pouco tempo, ledo engano. No meio do caminho eu já estava ensopada, a minha bolsa de pano vermelha com bolinhas brancas molhou a valer, dentro dela estavam os dois livros que preciso devolver na faculdade mediante a um pagamento de multa já que sou uma anta e me esqueci de levar essa porra antes. As melissas que calçava, com tanta água, ficavam saindo do meu pé irritantemente. A essa altura eu já estava longe demais da linha verde do metrô e perto de um ponto de ônibus descoberto, continuei andando. Após 40 e poucos minutos de muita chuva, cheguei com a certeza de que meu pseudo-resfriado vai virar uma gripe, tive de secar as melissas, tirar a blusa e passar frio, continuar com fome (cheguei atrasada, ainda por cima) e começar a trabalhar. Mal humorada? Não, claro que não. O Corinthians ganhou a Copa do Brasil e é nóis na Libertadores no ano do centenário. Isso vale toda chuva e encheção de saco posterior. E você são-paulino ou palmeirense que lê esse post, uma última palavra: CHUPA!